UM NOVO OLHAR SOBRE A SAÚDE DO IDOSO: EXPERIÊNCIA ACADÊMICA EM INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA

Thiago Rosendo Santos Miranda, Jennyfer Porto Eufrazio, Suzi Rosa Miziara Barbosa

Resumo


Introdução: Envelhecimento ou senescência é um processo natural do corpo humano no qual se verifica o declínio de todos os sistemas e funções (cognitivas, funcionais e sociais) que podem impactar na autonomia e funcionalidade da pessoa idosa. Referente à atuação do fisioterapeuta na saúde do idoso, esta tem por objetivo garantir uma melhor qualidade de vida e manter sua funcionalidade visando promover o autocuidado, a independência funcional e a autonomia. No intuito de contribuir para o processo de formação de profissionais voltados ao envelhecimento, e em atendimento à PNSPI, o curso de Fisioterapia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), apresenta em sua matriz curricular a disciplina de Saúde do Idoso, que tem como foco construir conhecimentos e a compreender o processo de envelhecimento, possibilitando uma experiência profissional e pessoal com o idoso institucionalizado. A disciplina oferece vivências práticas com pessoas idosas nos diferentes níveis de complexidade de saúde e em diferentes cenários, como a instituição de longa permanência SIRPHA. Descrição: A experiência vivenciada foi desafiadora para os acadêmicos que entravam em contato direto com o idoso, porque apesar do direcionamento teórico, a habilidade para o aprimoramento profissional acontece por meio das práticas através do diálogo, experimentações e instigações do acadêmico para com o paciente. A experiência trouxe a importância da ética profissional estudada em sala de aula e a relevância de se aperfeiçoar o olhar humanizado com os idosos institucionalizados, que necessitam de cuidados multi e interdisciplinares. As dificuldades encontradas foram interessantes para se criar uma visão crítica sobre situações observadas na instituição, trazendo abordagens individuais e reflexões para o acadêmico em sua prática fisioterápica. Conforme a periodicidade dos encontros e atendimentos, houve a oportunidade de aproximar-se dos idosos e ir além de uma atividade tecnicista, criando uma atmosfera confortável para partilhar histórias de vida, fatos marcantes e gostos em comum, o que os deixou confiantes para aderir às atividades e se aproximar dos acadêmicos, gerando uma experiência intergeracional capaz de enriquecer seus conhecimentos e desconstruir estereótipos relacionados ao processo de envelhecimento. Impactos: A experiência na SIRPHA trouxe um amadurecimento profissional e pessoal do acadêmico, que se reflete em sua atitude enquanto fisioterapeuta e também cidadão, necessário durante a graduação e atuação. O trabalho dos acadêmicos alcançou o objetivo esperado, onde cada um conseguiu realizar sua avaliação e intervenção de forma satisfatória apesar das adversidades, o que possibilitou desenvolver um novo olhar sobre a saúde do idoso, identificando em seu próprio meio familiar e vida pessoal a importância e necessidade dos cuidados com a pessoa idosa. Considerações: Diante do exposto, observa-se a necessidade de mais práticas nos cenários extramuros, que levam o acadêmico a trabalhar sua ética e propósito profissional estudados em sala de aula, e entender que o contato prévio com o idoso possibilita a aquisição de novos conhecimentos e um olhar diferenciado sobre o paciente, que abrange não somente as técnicas e conhecimentos profissionais do aluno, mas também seu emocional e psicológico, contribuindo para o crescimento como cidadão, o que traz uma reflexão humanizada.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.