A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE ALAGOAS NA OPERAÇÃO VALE DO ACRE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO CURSO DE FISIOTERAPIA NO PROJETO RONDON

Augusto César Alves de Oliveira, Lucas Pereira Balbino, Ewerton Amorim dos Santos, Maria Rosa da Silva

Resumo


Introdução: A Universidade tem um compromisso social em transpor o conhecimento construído intramuros para a comunidade, colocando assim as atividades de extensão como prática acadêmica que liga os facilitadores entre o ensino e a pesquisa com as demandas sociais. Eis a riqueza do projeto Rondon: poder juntar estas realidades e contribuir para realçar a força (potencialidades) da extensão numa Universidade. Dessa forma, a extensão universitária é uma importante ferramenta que cria o elo entre o ambiente acadêmico e a sociedade, possibilitando a formação de profissionais ligados a realidade social. Além disso, o projeto visa se tornar, junto à sociedade, um espaço privilegiado de produção do conhecimento, com vistas à superação das desigualdades sociais que ali se instalam. Descrição: O Projeto Rondon, foi criado na década de 1960, no contexto da ditadura militar, em homenagem ao Marechal Cândido Rondon. É um dos principais projetos de extensão já desenvolvidos no Brasil. Sob à coordenação do Ministério da Defesa e em parceria com as instituições de ensino superior (IES), objetiva a integração social mediante a participação de estudantes universitários em atividades que visam beneficiar a população de comunidades em situação de vulnerabilidade social. e promover a troca de saberes por meio de ações cívico-sociais como uma ferramenta para transformar e conscientizar socialmente. Os Rondonistas (denominação concedida aos docentes e discentes participantes do Projeto) promovem a troca de saberes adquiridos na academia com a comunidade. O Projeto Rondon se estabelece por meio de operações, as quais são imersões de quinze dias, em média, em comunidades com áreas de grande vulnerabilidade social. As operações ocorrem durante o período de férias letivas dos estudantes. As IES encaminham os projetos para o Ministério da Defesa e se capacitam para a operação de acordo com o conjunto a que concorre, sendo o Conjunto A: Cultura, Direitos Humanos e Justiça, Educação e Saúde; Conjunto B: Comunicação, Tecnologia e Produção, Meio Ambiente e Trabalho. A Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL) foi contemplada para atuar nas quatro áreas do conjunto A, sendo representada por dez integrantes, sendo dois professores e oito acadêmicos dos cursos de fisioterapia, medicina, enfermagem, terapia ocupacional e fonoaudiologia. Impactos: Como impactos, destacam-se: a construção de habilidades comunicacionais dos participantes, como a fala e a escuta, baseando-se na horizontalidade; a sensibilização e construção da empatia; a problematização através das oficinas ministradas pelos Rondonistas; e a socialização de experiências. Considerações: A experiência vivenciada no projeto gerou a reflexão de que os estudantes não devem se limitar às quatro paredes da sala de aula, tampouco aos componentes curriculares da matriz do curso. Estes devem constantemente identificar potencialidades, fragilidades e contribuir para transformar a realidade, promovendo discussões com os pares, com os professores, coordenadores de núcleos, coordenador do curso, e juntos construírem soluções que corroborem com uma formação que atenda as generalidades e especificidades da população.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.