A PROMOÇÃO DA SAÚDE COMO NORTEADOR DO ENSINO ATRAVÉS DA INTEGRAÇÃO ENSINO TRABALHO CIDADANIA

Andrea Serra Granico, Leticia Monclaro Mouteira, Ana Carolina Gomes Martins, Luiz Gustavo Erthal Nogueira, Fabio Silva dos Santos, Danielle Aprigio

Resumo


Introdução: A demanda para a intervenção do profissional fisioterapeuta vem aumentando ao longo dos anos em decorrência das demandas advindas das comunidades/população/ cidadão. A promoção da saúde é um papel fundamental para o profissional de saúde podendo através de ações de saúde facilitar o saber coletivo de um grupo de indivíduos. Uma boa estratégia para promover saúde são as salas de espera seja em unidades básicas de saúde, em locais onde indivíduos aguardam atendimento em ambulatórios, em escolas, etc. Para atender as necessidades da população é indispensável uma formação com total comprovação cientifica, generalista e humanizada porem, não devemos abandonar os saberes populares e sobrepor para as práticas de educação os saberes técnico científicos. Diante de tal necessidade o Curso de graduação em Fisioterapia do UNIFESO inseriu em todos os períodos de formação o componente curricular IETEC - Integração Ensino Trabalho e Cidadania uma proposta de formação do acadêmico no mundo do trabalho em todos os níveis de atenção à saúde. Descrição: Em fevereiro de 2018 os acadêmicos de fisioterapia foram inseridos em uma comunidade constituída por indivíduos vítima da tragédia ambiental que atingiu o município de Teresópolis em 2011. Os projetos foram pensados e elaborados conforme diagnóstico situacional prévio realizado através da parceria UNIFESO e Prefeitura Municipal de Teresópolis. Foram divididos grupos de 12 estudantes do curso de Fisioterapia com o objetivo de promover saúde as pessoas vítimas de diversos tipos de perdas. Os grupos buscavam introduzir à comunidade praticas educativas de acordo com as necessidades apontadas no levantamento realizado previamente. Os estudantes visavam estimular a população a desenvolver o autocuidado, identificar fatores de riscos à saúde, prevenir e orientar acerca de doenças crônicas não transmissíveis. Assuntos calendarizados pelo ministério da saúde também foram abordados à comunidade por exemplo setembro amarelo, outubro rosa e novembro azul, a linguagem utilizada sempre simples e permitindo trica dos saberes entre estudantes, docentes e comunidades permitindo assim uma reflexão sobre os temas. Impactos: A partir do IETEC projetos são desenvolvidos e vivenciados pelos acadêmicos do curso de fisioterapia entre si ou integrado a outros cursos da área da saúde. Os projetos são desenvolvidos em cenários internos e externos à instituição, com estes projetos de intervenção busca-se atender a demanda e/ou necessidade da comunidade além de proporcionar aos acadêmicos vivencia singular e transformadora pois a atuação são em cenários reais onde a tomada de decisão do dia a dia é fundamental para atingirmos os objetivos propostos para atender a demanda. A autonomia do acadêmico, mediada pelo professor, favorece ao desenvolvimento de autoconfiança, responsabilidade, criatividade assim, a comunidade é assistida e beneficiada em melhoria de qualidade de vida. Considerações: Através da experiência vivida houve a possibilidade de promoção de saúde à população, produção do cuidado, aproximação do estudante com o real cenário de prática profissional, conhecimento da realidade social dos indivíduos que irão influenciar diretamente na qualidade de vida, análise crítica e reflexiva além do desenvolvimento de competências e habilidades essências para a formação do profissional fisioterapeuta.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.