A RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL NA ASSISTÊNCIA INTEGRAL À SAÚDE DA GESTANTE: UMA ANÁLISE DA PRÁTICA INTERPROFISSIONAL NO PRÉ-NATAL EM UMA UNIDADE DE SAÚDE NO INTERIOR DO RIO GRANDE DO SUL

Antônio Lucas Oliveira Góis Almeida, Eduardo Henrique Portz, Ramone Rockenbach, Gladis Schneider Satiq

Resumo


Introdução: A integralidade da atenção é indispensável para se pensar saúde dentro do Sistema Único de Saúde (SUS). A colaboração interprofissional tem sido identificada como uma estratégia para um cuidado de saúde mais qualificado, ampliado e efetivo. A Residência Multiprofissional em Saúde tem sido utilizada como ação estratégica para transformar a organização dos serviços de saúde, tensionar o processo de trabalho, direcionar as ações de saúde e refletir sobre as práticas pedagógicas na formação de profissionais para o SUS. Nesse contexto, a prática interprofissional mostra-se essencial para romper uma fragmentação estrutural entre os profissionais que compõem a Estratégia de Saúde da Família (ESF). Descrição: Trata-se de um relato de experiência da prática intervencionista realizado por dois Residentes (Fisioterapeuta e Nutricionista) em Saúde da Família (RMSF), um Médico de Família e Comunidade e uma Enfermeira da ESF durante o acompanhamento do Pré-Natal de gestantes no Município de Lajeado/ RS. Foi realizado inicialmente um estudo observacional sobre o acompanhamento do Pré-Natal na unidade de saúde (solicitação de exames, mensuração de parâmetros da gestante, recomendações clínicas e ginecológicas); Pactuação com os profissionais da assistência sobre a inserção de outros profissionais da saúde para a assistência à saúde da gestante, mediante a discussões de barreiras e dificuldades da inserção; Realização de uma prática interprofissional com fluxo sistematizado e voltado para o cuidado da gestante, focando na sua funcionalidade e empoderamento de estratégias de promoção da saúde. Impactos: Uma das principais dificuldades no processo de assistência integral à saúde é a fragmentação do cuidado. Essa dificuldade é reflexo de formações tecnicistas, centradas na doença e de caráter curativo. A inserção de novos profissionais da saúde no acompanhamento do Pré-Natal demonstrou a necessidade de entender saúde em diversos aspectos. Práticas que perpassam pela análise clínica, obstétrica, nutricional, de funcionalidade, na execução de atividades de vida diária, nas condições sociais, culturais, econômicas, religiosas, territoriais, na percepção corporal e o no manejo de queixas álgicas são aspectos que foram conduzidos durante a prática interprofissional na assistência à gestante. Considerações: A prática interprofissional mostrou-se como estratégia de práticas participativas e de relacionais entre os integrantes das equipes, contrapondo-se às relações tradicionais hierarquizadas. Além de gerenciar o processo de interação entre os profissionais das equipes e aspectos que interferem no trabalho cooperado, buscando melhorar a qualidade e o acesso aos serviços, na perspectiva de uma atenção à saúde mais contínua, abrangente e integral da saúde da gestante.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.