ESTAGIO EM FISIOTERAPIA NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FELIPE CAMARÃO II EM NATAL/RN: RELATO DE EXPERIENCIA

Arthur Deyvison Melo de Santana, Alesson Belo da Silva, Daniela Gibson Cunha, Erick Ferreira de Mendonça, Gabriela Soares de Medeiros5, Marcella Cabral de Oliveira

Resumo


Introdução: A fisioterapia é uma profissão jovem no cenário brasileiro que vem ganhando espaço e se fortalecendo, vivenciando cada vez mais novas oportunidades e se desenvolvendo sustentada em embasamento científico. Para o SUS, todos os níveis de atenção (primário, secundário e terciário) são igualmente importantes. Porem a atenção básica se mostra prioritária e se sobressai perante as outras, com seu caráter preventivo, de atenção continuada e multidisciplinar possibilitando uma melhor organização e funcionamento também dos serviços de média e alta complexidade. A Fisioterapia na Atenção Básica de Saúde no Brasil começou a surgir efetivamente apenas a partir de 1995, justamente por ainda ser pouco conhecida como preventiva. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi relatar a experiência vivida no estágio curricular obrigatório em Unidade básica de saúde (UBS), na ótica de um preceptor de estágio. Descrição: Trata-se do relato de experiência vivenciado por um preceptor de estágio, com durabilidade 3 meses acompanhando o Núcleo de saúde da família (NASF) da UBS Felipe Camarão II em Natal/RN, As atividades aconteceram após realizada uma pactuação com e equipe de profissionais daquela unidade, sendo desenvolvidas ações acompanhados de Agentes comunitário de saúde, com atendimentos a usuários, perpassando por ações de educação em saúde aos grupos que funcionam na UBS e funcionários, além de ações preventivas e de educação em saúde junto a uma escola da comunidade. Impactos: Diante de um cenário de alta demanda pelos serviços Fisioterapêuticos as atividades desenvolvidas em conjunto com os profissionais do NASF e estagiários em fisioterapia mostraram-se bastante proveitosos para os alunos e para a comunidade tendo em vista que as vivencias ofertaram a pratica em um cenário real diferente do que os acadêmicos viam na faculdade. Considerações: Destaca-se que a Fisioterapia tendo um papel claro de atuação na área de atenção básica ainda se é possível verificar uma enorme lacuna na formação dos novos profissionais, lacuna esta que fortalece o modelo biomédico e assistencialista enfraquecendo assim a participação deste importante profissional na APS.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.