O DIAGNÓSTICO DA APRENDIZAGEM A PARTIR DA AVALIAÇÃO DOS ITENS DE PROVA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Carla do Couto Soares Maciel, Carlos Augusto Moreira de Oliveira, Natália Morais de Andrade, Gilmara Silva de Melo Santana

Resumo


Introdução: O processo de ensino e aprendizagem para estudantes do curso de fisioterapia, assim como nas demais áreas de saúde, deve estabelecer uma educação crítica-reflexiva, com aquisição de conhecimentos, habilidades e atitudes que favoreçam a sua futura atuação profissional. Um dos maiores desafios do ensino superior tem sido o desenvolvimento de instrumentos de avaliação que permitam uma apreciação qualitativa dos processos de ensino e aprendizagem e ao mesmo tempo, facilitem a comunicação e articulação entre os examinadores. Descrição: Este estudo objetivou a validação de um instrumento diagnóstico de aprendizagem que utiliza a análise de questões de prova com base nos níveis hierárquicos da taxonomia de Bloom dos objetivos de aprendizagem, no tipo de questão utilizada e no percentual de acerto e erro. Para a elaboração do instrumento, Inicialmente verificou-se o perfil da prova processual integrada, aplicada em 2018.1, junto a 142 alunos do segundo semestre do Centro de Ciências da Saúde da UNIFOR. Questões do tipo complementação simples ou resposta única contemplaram 55% da prova processual integrada (baixo grau de dificuldade), 35% das questões foram do tipo asserção-razão ou resposta múltipla (moderada dificuldade) e 10% dos itens foram de elevada dificuldade (interpretação ou associação). Os objetivos de aprendizagem abordados na avaliação contemplaram os três primeiros níveis hierárquicos da taxonomia de Bloom: conhecimento (15% dos itens), compreensão (55%) e análise (30%). A partir desta primeira análise da estrutura da avaliação, foi feita a correlação entre o nível de complexidade dos itens de prova, os objetivos de aprendizagem segundo a taxonomia de Bloom e o índice de acerto e erro para cada item. A análise estatística dos dados foi feita utilizando-se o programa PAST3, o teste de Shapiro-wilk e, na condição de normalidade foi realizado o teste t-Student. Verificou-se que, dentre as vinte questões da prova, sete foram acertadas por 70% dos alunos, elas estavam distribuídas entre os três níveis de Bloom, com grau de dificuldade baixo ou moderado. Oito itens foram acertados por 60% dos alunos, com grau de dificuldade baixo ou moderado, nos três níveis de Bloom e, por fim, cinco itens foram acertados por menos de 50% dos alunos cujas questões estavam nos três níveis de Bloom com grau de dificuldade moderado e difícil. Impactos: O nível hierárquico do objetivo de aprendizagem e o grau de dificuldade do tipo de questão influenciaram diretamente no percentual de acerto e erro dos itens de prova e permitirão futuramente a elaboração de itens de prova de maneira mais reflexiva e coerente com os objetivos de aprendizagem. Considerações: A partir da análise detalhada dos itens de prova, é possível desenvolver um instrumento de diagnóstico de aprendizagem individual e coletiva, identificar lacunas dentro do processo de ensino e aprendizagem e, por fim verificar o nível das avaliações aplicadas.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.