PET-SAÚDE: A IMERSÃO EM INTERPROFISSIONALIDADE VIVENCIADA POR ACADÊMICOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DO UNIFESO - UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Rodrigo Henrique Torbis Batista Gançalves, José Carlos Lima de Campos, Rafaela da Silva Coelho Barbosa, Ana Maria Pereira Brasilio de Araújo, Andrea Serra Graniço, Mariana Beatriz Arcuri, Leticia Monclaro Mouteira

Resumo


Introdução: A Organização Mundial de Saúde, OMS, define a Educação Interprofissional - EIP como: [...] o aprendizado que ocorre quando estudantes de duas ou mais profissões aprendem sobre os outros, com os outros e entre si para possibilitar a colaboração eficaz e melhorar os resultados de saúde" (OMS, 2010). O Programa de Ensino pelo Trabalho em Saúde (PET-Saúde) Interprofissionalidade 2019/2020 se baseia na Educação Interprofissional em saúde, como uma maneira de qualificar os diversos serviços em saúde. Com base nisso, o objetivo do trabalho é expor as experiências dos alunos de graduação de Fisioterapia do UNIFESO acerca do seu envolvimento com o programa PET-Saúde que teve inicio no UNIFESO em março de 2019 e previsão de termino em dezembro de 2020. Descrição: A vivência dos acadêmicos de fisioterapia do UNIFESO com o PET-Saúde/Interprofissionalidade até a escrita do presente relato é de aproximadamente 05 meses. Como equipe que compõe os grupos foram inseridos alunos dos cursos do Centro de Ciências da Saúde, envolvendo alunos de fisioterapia, medicina, odontologia, ciências biológicas, farmácia, nutrição e enfermagem, atuam 05 grupos com 09 alunos, 04 preceptores, representando a Secretária Municipal de Saúde de Teresópolis, 01 tutor e 01 coordenador representantes do UNIFESO. O cenário escolhido para execução das ações foi o Condomínio Social Fazenda Ermitage (CSFE), com o intuito de melhoria na assistência a saúde da população local e no ensino na saúde. O CSFE foi projetado com o objetivo de realocar em residências prediais, a população vítima da tragédia ambiental de 2011 no Município de Teresópolis, que se soma a uma imensa perda material com as irreparáveis perdas familiares e impactos emocionais. Uma das principais motivações dos estudantes em participar do programa se encontra em vivenciar experiências de educação em saúde fora do ambiente de salas de aula, neste caso, a questão interprofissional exacerba o desejo de trabalho em equipe, para pratica da interprofissionalidade e a formação continuada.A vivência durante processo de ensino aprendizagem interprofissional resulta em benefícios tanto para os alunos quanto para o sistema de saúde, pois, favorece cuidados em saúde e a formação de profissionais com visão ampla no que diz respeito à saúde necessidades do individuo e\ou do coletivo. Sabe-se que apenas agrupar diferentes profissionais em equipes não se qualifica como educação interprofissional. Impactos: Os impactos da primeira etapa vivenciada mostram que a interprofissionalidade permite enxergar alem da profissão em processo, nem deve ser detentora de um conhecimento total. Além disso, nota-se que o processo de ensino-aprendizagem na prática do trabalho interprofissional se dá pela aceitação e organização dos atores envolvidos, e consequentemente nota-se que pensar no que atinge a vida diária e fatores ambientes influenciadores na saúde do indivíduo são marcos que também interferem na qualidade de vida. Considerações: Através da análise exposta, percebe-se que o interesse e dedicação do grupo e dos demais atores são inerentes ao progresso do projeto. Além disso, essa forma de aprendizagem apresenta características primordiais no tocante à novos hábitos em ambiente educacional e de formação de profissionais de saúde tornando o compartilhamento dos saberes indispensáveis.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.