PROGRAMA PRÁTICA DE EDUCAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO EM SAÚDE: RELATO DE EXPERIÊNCIA DA UTILIZAÇÃO DE CASOS CLÍNICOS À LUZ DA TAXONOMIA DE BLOOM

Karina Durce, Renata Cléia Claudino Barbosa, Francine Lopes Barretto Gondo, Letícia Moraes de Aquino, Joyce Liberali, Jeanette Janaina Jaber Lucato, Ebe dos Santos Monteiro Carbone, Luciane Correia da Silva

Resumo


Introdução: Nos últimos anos, o ensino superior nos cursos da área da saúde sofreu transformações importantes com o objetivo de aperfeiçoar o processo de ensino e aprendizagem. Dentre os instrumentos amplamente empregados neste processo, destaca-se a taxonomia de Bloom que propõe 3 domínios: cognitivo, afetivo e psicomotor. Neste estudo, será dado ênfase nas seis principais categorias do domínio cognitivo: conhecimento, compreensão, aplicação, análise, síntese e avaliação. Tal perfil é exigido nas avaliações diagnósticas e na resolução de estratégias interdisciplinares por meio da resolução de situações - problema que podem ser apresentadas por meio de casos clínicos. Descrição: O Programa Práticas de educação, pesquisa e extensão em saúde, é realizado durante o estágio supervisionado do curso de fisioterapia de uma instituição de ensino superior particular de São Paulo, e propõe integrar as categorias propostas por Bloom aos casos clínicos utilizados nos processos de ensino-aprendizagem. Os docentes disponibilizaram casos clínicos complexos que envolveram temáticas atuais e questões relacionadas a raça, idade, gênero, diversidade sexual, deficiência, classe social e direitos humanos. A resolução do caso ocorreu de acordo com um cronograma previamente disponibilizado com atribuições semanais relacionadas aos níveis do domínio cognitivo da taxonomia de Bloom: conhecimento, compreensão, aplicação, análise, síntese e avaliação. Na primeira atribuição os discentes foram orientados a identificar no caso os aspectos familiares, sociodemográficos, funcionais, éticos e profissionais. A atribuição seguinte envolveu os níveis compreensão, aplicação e análise da Taxonomia de Bloom, visto que, os discentes deveriam propor e interpretar instrumentos de avaliação das condições físicas, emocionais e fatores relacionados a qualidade de vida do protagonista do caso. Para contemplar a síntese, os discentes desenvolveram um plano terapêutico após discussão sobre as atribuições anteriores favorecendo, desse modo, a tomada de decisão. Na última atribuição os discentes apresentaram a estrutura do caso clínico compreendendo todos os níveis do domínio cognitivo da Taxonomia de Bloom, por meio da apresentação, interpretação do caso e elaboração de uma intervenção para o protagonista. Em todas as atribuições os discentes também foram orientados a desenvolver textos estruturados com limites de palavras e tempo para realização. Além disso, os discentes desenvolveram um vídeo educativo diretamente relacionado com a temática do caso com o objetivo de abranger a coletividade. Impactos: O projeto proposto favoreceu a construção do aprendizado por meio da análise crítica das informações do caso clínico com diversas situações - problema, integração e correlação teórico - prática previamente adquiridos para a elaboração de um planejamento terapêutico, assim como, a motivação para propor e desenvolver insumos que envolvem educação em saúde com a finalidade de abranger diversas populações. Considerações: O uso de casos clínicos à luz da Taxonomia de Bloom, contribui para o desenvolvimento de um raciocínio clínico, que vai além do domínio de conteúdo, enfatizando outras dimensões cognitivas, promovendo o pensar e agir para a integralização do cuidado em saúde.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.