EQUIPE DE SAÚDE: INTERDISCIPLINARIDADE DO VER-SUS RN

Maria Clara Rangel Ribeiro, Ana Clara de França Nunes, Arthur Deyvison Melo de Santana, Ítalo Matheus Targino Moreira, Jéssica Morais de Araújo, Luara Rayane Danta, Maryanne Karla Marchado de Araújo, Sidney Rafael Gomes de Oliveira, Francisco Assis Vieira Lima Júnior

Resumo


INTRODUÇÃO: A Vivência e Experiência na Realidade do Sistema Único de Saúde (VERSUS) é uma proposta que visa aproximar os estudantes do contexto prático e funcionamento do SUS. Foi realizado no município de São Miguel no período de 14 de Julho à 23 de Julho de 2014, desenvolvido de maneira multidisciplinar com estudantes experimentando a realidade de um sistema visto de três formas: como quem usa como quem promove e como quem coordena. Diante disto, com a intenção de enriquecer o debate sobre a temática do processo de construção e atuação do SUS, este relato visa explicitar a vivência da representação social do Sistema Único de Saúde do ponto de vista do usuário, do profissional, e do gestor no município de São Miguel/RN, contribuindo assim para o planejamento de ações que possibilitem o desenvolvimento de estratégias que venham somente a melhorar a condição de saúde do município. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: O estágio foi marcado por reuniões, debates, visitas (centros de atendimento psicossocial, matadouro, aterro sanitário, equipamentos sociais de lazer, hospital, centro de reabilitação e unidades básicas) que possibilitou um entendimento maior sobre o funcionamento do sistema de saúde e foi de grande valia levando em consideração que os estudantes estavam inseridos na realidade daquele município, entendendo como deve ser feito e ao mesmo tempo vendo as limitações existentes que impossibilita a boa qualidade do serviço prestado. IMPACTOS: Dentre todos os problemas vivenciados destacamos a falta de comunicação entre os profissionais dos vários setores de atendimento que dificulta o processo do cuidar. Observamos a desumanização para com as pessoas que fazem a coleta do aterro sanitário onde existem pessoas que selecionam lixo para consumo próprio, por outro lado, destacamos o acolhimento e o trabalho humanizado por parte dos profissionais do centro de atendimento psicossocial. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Esse processo nos levou a um pensamento crítico em busca de uma forma que sanasse as deficiências de acordo com a realidade da cidade dentre as quais destacamos implantação de uma cooperativa para gerar empregabilidade e fazer destinação adequada do lixo, contratação de profissionais, aquisição de transportes e melhoria salarial.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.