RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA DA FISIOTERAPIA DA UFPR

Bruna Yamaguchi, Beatriz Cristine Hartman, Estefani Santos Castro, Gabriella Ferreira, Giovanna Cristina Leveck, Maria Izabel Feltrin, Vera Lúcia Israel

Resumo


Introdução: Na Universidade Federal do Paraná (UFPR), os estudantes da graduação podem participar de projetos de iniciação à docência, conhecidos como monitorias, aproximando-se da vivência de ser professor. Dessa maneira, ter o contato com essa experiência já na formação universitária auxilia os monitores no desenvolvimento de mais uma habilidade e competência profissional para o futuro exercício da profissão. As demandas da sociedade e as demandas do sistemas de saúde enfatizam o contato humanizado do fisioterapeuta, portanto a prática da docência abre possibilidades de aprender a conhecer, a fazer, a ser e a conviver. Com isso, o objetivo do presente trabalho é relatar a experiência vivida em atividades teórico-práticas de capacitação discente com atividades formativas de ensino, enriquecendo a formação profissional. Descrição: O programa envolveu duas disciplinas denominadas "Panoramas de Fisioterapia no Brasil e no Mundo" e "Fisioterapia Neurofuncional I", com metodologia de aprendizagem por projetos. Contou com reuniões semanais com o docente das disciplinas e as demais monitoras, nas quais eram abordadas o embasamento pedagógico e seus pilares, com fundamento teórico sobre educação e a profissão de Fisioterapia e suas diretrizes nacionais e internacionais. Na monitoria com os estudantes, foram realizadas discussões em roda, preparação de materiais de apoio, além da elaboração das atividades para fixação e assimilação de conteúdo, estimulando o raciocínio crítico de cada um para agregar conhecimento e retomando conceitos estudados em sala de aula, que foram propostas aos estudantes em monitorias quinzenais. Também houve a organização de um plano de aula e sua aplicação. Impactos: A experiência permitiu um contato inicial dos discentes com a prática docente, além de preparar habilidades específicas e produtos finais em cada disciplina. Assim, permitindo compreender novos caminhos de atuação dentro da profissão de Fisioterapia. A troca de conhecimento e interação entre docente, monitoras e acadêmicos foi fundamental para a realização e aprimoramento da prática de iniciação à docência. Considerações: Nesta prática a pró atividade nas discussões e buscas de soluções aos desafios que surgiram propiciou uma flexibilidade e criatividade na atuação como monitoras, levando a ajustes necessários ao processo docente-discente de ensino aprendizagem.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.