RELATO DE EXPERIÊNCIA: SABERES E A FISIOTERAPIA NOS PILARES EDUCACIONAIS DA GRADUAÇÃO ATÉ O PÓS-DOUTORADO COMO FORMAÇÃO CONTINUADA

Taisy Aparecida de Melo, Anna Carolina Alencar dos Santos, Rubineide Barreto Silva Gallo, Vera Lúcia Israel

Resumo


Introdução: Na formação do fisioterapeuta foi vivenciado um projeto interdisciplinar na disciplina de primeiro período ofertada pelo curso de Fisioterapia da UFPR denominada "Panoramas da Fisioterapia no Brasil e no Mundo" (PFBM) com a aproximação da disciplina de "Desenvolvimento Biopsicossocial", com o tema ciclos da vida do ser humano e os métodos educacionais inovadores para identificação de demandas sociais na realidade com a profissão de Fisioterapia em locais não tradicionais. Descrição: O tema proposto pela docente foi "Saberes e a Fisioterapia nos Pilares Educacionais da Graduação até o Pós-Doutorado como Formação Continuada" que acompanhado do ciclo de vida do idoso possibilitou vivenciar uma parte do processo fisioterapêutico como metodologia de aprendizagem por projetos. O objetivo dos estudantes foi conhecer, compreender e propor ações de educação em saúde para a realidade do grupo de idosos participantes de modo voluntário. Assim a intervenção em um local não tradicional favorece uma reflexão sobre uma formação educacional diferenciada para os futuros profissionais da saúde. A intervenção fisioterapêutica proposta foi em um grupo de amigos idosos sedentários, residentes da comunidade em um dos bairros da cidade de Curitiba, Paraná. O planejamento foi realizado em três visitas práticas de campo e a intervenção realizada após conhecer a realidade dos idosos foi a inserção de atitudes saudáveis como caminhada e alongamentos musculares, com uso de protetor solar, indicação geral para ingestão de água e hábitos saudáveis para auxiliar na qualidade de vida dos participantes. Os estudantes além de atuar com os idosos puderam estudar e refletir os saberes e os pilares educacionais na academia (da graduação ao pós-doutorado). Para comparação foram selecionados dois grupos heterogêneos, idosos praticantes de escalada e com hábitos saudáveis e o outro grupo sedentário sem hábitos saudáveis. Foram realizadas duas visitas para conhecer e entender a necessidade deste público. Na terceira visita os autores acompanharam os idosos na realização de uma caminhada curta no bairro, onde o público alvo reside. Após a finalização da caminhada, os idosos foram incentivados a realizar uma sequência de dez alongamentos globais divididos em duas séries de trinta segundos com pausas intercaladas, respeitando as limitações individuais de cada participante. Para o encerramento da visita foi entregue uma cartilha de bons hábitos para cada idoso, envolvendo o controle e prática diária de alguns tipos de atividades saudáveis e sem risco (caminhar, ingerir água, etc.). Os idosos relataram satisfação em realizar as atividades propostas e comprometimento em adquirir e manter uma rotina visando a qualidade de vida. Impactos: A experiência foi fundamental para que os graduandos pudessem vivenciar a significância da atuação fisioterapêutica e entender a tríade ensino-pesquisa-extensão na prática fisioterapêutica desenvolvida na UFPR, garantindo uma aprendizagem por projetos eficientes e efetivos, incluindo aspectos educacionais de formação continuada do fisioterapeuta. Considerações: A experiência foi positiva sobre a vivência, propostas elaboradas e comprometimento dos idosos. Na prática desde o primeiro período com a comunidade, pode-se aprender o amplo espectro de oportunidades e experiências produtivas para o discente, docente e sociedade, garantindo o comprometimento com a formação profissional na Fisioterapia.PALAVRAS-CHAVES: Fisioterapia. Educação. Universidade. Aprendizagem.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.