A IMPORTÂNCIA DA INTEGRAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO DANÇANDO COM IDOSOS E RODOPIOS E PIRUETAS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Ermenilde da Silva Pinto, Fabíola dos Santos Dornellas Oliveira, Mariângela Braga Pereira Nielsen

Resumo


Introdução: Sabe-se que os projetos de extensão, como prática acadêmica, visam a interligar a academia em suas atividades de ensino com as demandas da sociedade, buscando respeitar o compromisso social da mesma. A extensão passa a desempenhar um papel importante como forma de conhecimentos, além de contribuir para a transformação da sociedade do estudante em seu próprio comportamento. Os projetos de extensão com dança permitem momentos de lazer e a socialização para promover a integração dos atores envolvidos, e para que isso ocorra, as atividades devem ser, sempre que possíveis, em grupo e variadas. A dança é uma das atividades que vem ganhando mais espaço como estratégia preventiva da inatividade ou imobilismo, como forma de expressão corporal, coordenação motora, inclusão, desenvolvimento de potencialidades e convivência social. Descrição: O Curso de Graduação em Fisioterapia da Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória - MESCAM possui diversos projetos de extensão, entre eles os projetos intitulados "Dançando com idosos" e "Rodopios e Piruetas". Os projetos têm como principal finalidade articular ações nos campos do ensino, atenção à saúde e a sociedade. Na área do ensino proporcionamos a integração dos alunos dos cursos de graduação em Fisioterapia, Enfermagem, Medicina, e Serviço Social da MESCAM, desenvolvendo a aprendizagem e vivências no campo da Saúde do Idoso e Criança. Além disto, visa colocar em prática as teorias aprendidas nas disciplinas das saúdes: pública, idoso e criança, focando na integralização e humanização de forma interdisciplinar. Os projetos ocorrem todas as quartas feiras em horários independentes com um grupo de idosos ativos no setor de saúde do idoso e um grupo de crianças cadeirantes no setor de pediatria. Os dois grupos ensaiaram uma quadrilha, esta seguiu os moldes tradicionais das quadrilhas das festas juninas, porém sem que as coreografias fossem combinadas entre os dois grupos. Quando ocorreu o "Arraiá da Extensão", primeiro apresentou a quadrilha dos idosos e logo após a das crianças e no final juntamos os grupos. Impactos: No momento em que as crianças viram os idosos dançando coreografias semelhantes ficaram encantadas e impressionadas, o mesmo acontecendo com os idosos. Então juntamos os dois grupos, não sabíamos se iria dar certo ou não. Mas para nossa surpresa foi surpreendente a integração dos idosos, crianças, alunos, professores e cuidadores. A estratégia foi realizar uma coreografia que fosse comum aos dois grupos. Ver as crianças e idosos executando a quadrilha juntos, com a participação dos cuidadores foi simplesmente maravilhoso e emocionante. Considerações: Ao iniciarmos este trabalho não imaginávamos o quanto esta experiência seria tão exitosa, com crianças e idosos estimulados e integrados a participarem e a confirmação da nossa percepção da necessidade de proporcionarmos mais momentos como esse integrando todos os envolvidos.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.