COMPARAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO NEUROMOTOR DE LACTENTES PREMATUROS COM E SEM HEMORRAGIA PERI-INTRAVENTRICULAR

Bruna Kelly Ferreira, Dayane Duarte Abreu, Jadiane Dionisio

Resumo


Introdução: lactentes pré-termo podem apresentar imaturidade funcional por não completar o desenvolvimento intrauterino, assim como complicações neurológicas relacionadas a Hemorragia Peri-intraventricular (HPIV). Sendo assim, tanto a prematuridade quanto a presença de HPIV influenciam diretamente no desenvolvimento motor do lactente, gerando atrasos nas aquisições ou até mesmo habilidades atípicas. Objetivo: avaliar e comparar o desenvolvimento neuromotor grosso dos lactentes prematuros com e sem diagnóstico de HPIV. Métodos: foi realizado um estudo prospectivo, transversal e avaliativo. A amostra foi por conveniência composta por 20 lactentes de 0 a 18 meses, prematuros com e sem diagnóstico de HPIV conforme os critérios de inclusão. Os lactentes foram avaliados por uma ficha estruturada e pela escala de desenvolvimento Alberta Infant Motor Scale (AIMS), nas posturas prono, supino, sentado e em pé. Resultados: foi observado que lactentes com diagnóstico de HPIV obtiveram menor pontuação na escala AIMS, assim como a relação entre menor peso e a idade gestacional com a menor pontuação da escala, independentemente do grupo. Ademais, verificou correlação negativa entre menor peso e menor a idade gestacional quanto à presença de hemorragia cerebral. Conclusões: lactentes prematuros com diagnóstico de hemorragia cerebral apresentam maior atraso no desenvolvimento neuromotor grosso quando comparado com aqueles sem diagnóstico de HPIV. Da mesma forma, a idade e o peso estão diretamente relacionados com o atraso do desenvolvimento motor normal e presença de HPIV.

Palavras-chave


Hemorragia Cerebral; Lactente; Prematuro; Desenvolvimento Infantil; Desempenho Psicomotor.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18310/2358-8306.v8n17.a7

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.