ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES SOBREVIVENTES DA SÍNDROME DO DESCONFORTO RESPIRATÓRIO AGUDO

Bianca Boguszewski Frizzo, Emanuela Barros Santos Cesare, Thiago Marraccini Nogueira da Cunha, Jeanette Janaína Jaber Lucato

Resumo


INTRODUÇÃO: Podemos avaliar a qualidade de vida através de diversos questionários. Segundo a OMS, qualidade de vida é “a percepção do indivíduo de sua posição na vida no contexto da cultura e sistema de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”. A síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA) é uma condição de insuficiência respiratória aguda (IRpa). Para ser considerada, deve haver um aparecimento súbito dentro de uma semana ou piora súbita de um quadro já instalado, com edema difuso com IRpa não explicável por insuficiência cardíaca ou sobrecarga volêmica. A SDRA apresenta limitações físicas que podem levar a mudanças na qualidade de vida. OBJETIVOS: OBJETIVO: Analisar a qualidade de vida em sobreviventes da SDRA, com base nas pesquisas publicadas sobre o assunto. METODOLOGIA: Foi realizada uma revisão de literatura na biblioteca virtual PubMed. Não houve limitação quanto ao ano de publicação dos artigos. Foram utilizando os descritores “Adult Respiratory Distress Syndrome, Incidence, Mortality, Follow up studies e Quality of Life” por meio dos operadores booleanos “AND, OR e NOT”. Quanto ao critério de inclusão foram utilizados apenas artigos que associassem SDRA à qualidade de vida por meio de questionários. RESULTADOS: Foram encontrados 57 artigos e selecionados 10 para análise deste estudo. Para avaliar foram utilizados os instrumentos Euroqol-5D (EQ-5D), Medical Outcomes Study 36-Item Short-Form Health Survey (SF-36) e Nottingham Health Profile (NHP). Nove dos dez artigos utilizam o SF-36, um o EQ-5D e dois o NHP, sendo que 1 artigo utiliza SF-36 e o NHP no mesmo estudo, e um utiliza SF-36 e EQ-5D no mesmo estudo como instrumentos de avaliação. Os que avaliaram pelo SF-36 notaram que houve piora nos domínios de limitação por aspectos físicos, aspectos emocionais, saúde mental, aspectos sociais e vitalidade. Um artigo notou melhora nos aspectos físicos e capacidade funcional após um ano da SDRA. O avaliado pelo EQ-5D referiu ansiedade geral associada com o aumento da dependência na realização das atividades de vida diária (AVD’s) e atividades instrumentais de vida diária (AIVD’s). Já um dos dois artigos que usaram o NHP para a avaliação, relata piora para mobilidade, energia e interação social, enquanto o outro relata piora em todos os domínios menos na interação social. CONCLUSÃO: A análise dos artigos mostrou que a qualidade de vida dos pacientes com SDRA tem impacto global, na limitação ao exercício, sequelas físicas, sociais e psicológicas nos resultados observados em longo prazo. A maioria dos pacientes apresenta redução na qualidade de vida devido a sequelas pulmonares, apesar da escassa literatura.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.