COMPARAÇÃO DO CONTROLE POSTURAL ENTRE MENINOS E MENINAS EM IDADE ESCOLAR

Dirce Shizuko Fujisawa, Jessica Caroliny de Jesus Neves, Aryane Karoline Vital de Souza

Resumo


INTRODUÇÃO: O controle postural compreende a capacidade que o ser humano tem para exercer suas atividades e manter o corpo em equilíbrio, em situações de quase repouso (equilíbrio estático), e movimento quando submetido a diversos estímulos (equilíbrio dinâmico), proporcionando estabilidade e orientação. Sabendo-se que por questões anátomo-fisiológicas, meninos e meninas são diferentes, surgiu a necessidade de investigar o controle postural entre os sexos. OBJETIVOS: Comparar o controle postural entre meninos e meninas com oito anos de idade. METODOLOGIA: Estudo transversal, com amostra constituída por 346 crianças, com oito anos de idade, ambos os sexos, das escolas da Rede Municipal de Londrina/PR. A coleta de dados incluiu dados de identificação, medidas antropométricas e avaliação do controle postural por meio da plataforma de força (PF) portátil, padrão ouro na avaliação do equilíbrio humano. O controle postural foi avaliado em apoio unipodal, com a perna de preferência da criança por 30 segundos, em três tentativas, com descanso de um minuto entre as tentativas. Para análise foi utilizado a média das três tentativas. O teste de Shapiro-Wilk foi utilizado para verificar a normalidade dos dados, Mann Whitney para comparar o controle postural entre os sexos e p<0,05. RESULTADOS: Foram avaliadas 346 crianças, 180 (52%) eram meninas e 166 (48%) meninos. Na PF as variáveis área do centro de pressão (COP) (p=0,000), Amplitude Antero-posterior (Ampl. AP) (p=0,000), Amplitude Médio-lateral (Ampl. ML) (p=0,000), Velocidade Antero-posterior (Veloc. AP) (p=0,000), Velocidade Médio-lateral (Veloc. ML) (p=0,000), Frequência Antero-posterior ( Freq. AP) (p=0,000), se mostraram significantemente diferentes entre sexos. As meninas apresentaram valores menores em relação aos meninos: COP (11,88 e 15,86), Ampl. AP (5,40 e 6,05), Ampl. ML (3,97 e 4,40), Veloc. AP (3,98 e 4,94), Veloc. ML (3,98 e 4,59), Freq. AP (0,70 e 0,84), de meninas e meninos, respectivamente. CONCLUSÃO: Observou-se que meninas apresentaram medidas significantemente diferentes em relação aos meninos, portanto melhor desempenho no teste de controle postural no apoio unipodal. Esse achado pode ser por uma maturação neurológica dos sistemas visual, vestibular e proprioceptivo mais precoce em meninas, de tal forma que, elas podem executar tarefas complexas que envolvam o equilíbrio de modo mais eficiente.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.