PERFIL CLÍNICOPATOLÓGICO COMPARATIVO DO CÂNCER DE MAMA EM NULÍPARAS E NÃO NULÍPARAS

Hedioneia Maria Foletto Pivetta, Melissa Medeiros Braz, Gustavo do Nascimento Petter, Thais Nogueira de Oliveira Martins, Adriana Cielo, Luana Farias dos Santos, Sabrina Ribas, Betina Pivetta Vizzotto

Resumo


INTRODUÇÃO: O câncer de mama é a neoplasia que mais acomete as mulheres em todo o mundo. A nuliparidade constituI um fator de risco para o desenvolvimento do câncer de mama, devido a mulher ficar exposta por mais tempo aos estímulos estrogênicos. OBJETIVOS: Identificar as diferenças no perfil clínicopatológico em mulheres nulíparas e não nulíparas com câncer de mama. METODOLOGIA: Estudo documental retrospectivo do período de 2008 a 2014, mediante a análise de prontuários de mulheres com diagnóstico de câncer de mama em dois serviços públicos de referência de uma cidade do Sul do Brasil. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade de origem sob nº 13491513.5.0000.5346. As variáveis analisadas foram: idade no momento do diagnóstico; tamanho do tumor (em centímetros), sendo considerado o maior diâmetro do componente invasivo do tumor e, em casos de tumores multifocais ou multicêntricos, a medida considerada foi a do maior tumor; tipo histológico; estadiamento, sendo considerado, preferencialmente, o patológico e, na ausência deste, o clínico; o receptor hormonal e o grau de Nottingham. A análise dos dados deu-se inicialmente por meio de estatística descritiva para caracterização da amostra, posteriormente foram realizados os testes de hipóteses e para a normalidade dos dados foi utilizado o teste de Shapiro Wilk, para a comparação intergrupos das variáveis normais foi utilizado o teste T de student e para as variáveis assimétricas o teste de Mann-Whitney, sendo de 5% o nível de significância adotado. RESULTADOS: Foram analisados 265 prontuários, e desses, 167 contemplavam a informação sobre o número de filhos, em que grupo de nulíparas teve (GN) n=18 e grupo de não nulíparas (GNN) n=149 mulheres. A média de idade no momento do diagnóstico do GN foi de 59,17±17,29 e do GNN foi 55,52 ±12,88 (p=0,43). A média do tamanho do tumor foi de 3,41±2,2 cm para GN e de 2,9±2,56 cm para GNN (p=0,18). O tipo histológico predominante foi o ductal invasivo, tanto em GN (16) quanto em GNN (114), sendo o restante representado por lobular invasivo, em que GN (2) e GNN (13) e outras variantes histológicas foram encontradas apenas no GNN (16) (p=0,3). O estádio II foi o mais observado nos grupos, com 11 no GN e 86 no GNN (p=0,84). A expressão simultânea do receptor de estrógeno e de progesterona foi a mais incidente nos grupos, com 103 para GNN e 14 em GN, sendo p=0,19. O grau II de Nottingham foi o mais presenciado nos grupos, com 11 no GN e 86 no GNN com p=0,34. CONCLUSÃO: Não houve diferença estatisticamente significativa na comparação intergrupos nas variáveis analisadas.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.