AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO PARA A ATENÇÃO BÁSICA DO CURSO DE FISIOTERAPIA DO IFRJ SOB A ÓTICA DOS ALUNOS

Aline de Fátima Ribeiro Calais, Ednéia Aparecida Leme

Resumo


INTRODUÇÃO: Atualmente, muito se discute a respeito de aspectos da expansão do ensino, o campo de atuação e o perfil do profissional fisioterapeuta que tem sido formado. A formação, que inicialmente era fundamentada em um modelo tecnológico, biomédico e hospitalocêntrico, precisou ser remodelada para adequar-se aos princípios do SUS, novo modelo de saúde vigente. Com a proposta de remodelar os cursos de formação superior em saúde, foram criadas as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN), comuns a todos os cursos e com especificidades para cada um, das quais destaca-se que a formação do fisioterapeuta deve contemplar as necessidades sociais da saúde com ênfase no SUS. O curso de Fisioterapia do IFRJ foi implementado em 2009 e oferece um currículo inovador, já fundamentado nas DCN e cuja proposta principal é a formação de profissionais voltados para atuação no SUS. OBJETIVOS: O objetivo deste estudo foi avaliar a percepção dos alunos do curso de graduação em Fisioterapia do IFRJ em relação aos conhecimentos a cerca da formação para a atuação na Atenção Básica adquiridos durante o curso, correlacionando-os à prática no estágio curricular supervisionado e às atividades extracurriculares. METODOLOGIA: A avaliação foi feita por meio da aplicação de um questionário semiestruturado, próprio, com abordagem quantitativa e qualitativa, aos alunos regularmente matriculados do 7º ao 10º período do curso de Fisioterapia do IFRJ, campus Realengo. RESULTADOS: Os resultados mostram que os alunos apresentam bom conhecimento teórico relacionado ao SUS e, mais especificamente, ao NASF, conhecendo as atribuições do fisioterapeuta neste núcleo. A carga horária de todas as disciplinas que se relacionam com o tema AB foi avaliada como boa pela maioria. Houve diferença significativa na avaliação da contribuição da disciplina Fisioterapia Comunitária entre os participantes que a cursaram durante o estágio em AB e aqueles que cursaram depois. As atividades realizadas durante o estágio contemplaram todas as propostas apresentadas no Projeto Político Pedagógico do Curso. Os alunos reconheceram a importância do professor supervisor no estágio como sendo o principal fator que os estimulou. Maioria absoluta dos participantes afirmou que o curso atende às propostas descritas nas DCN sobre a formação do profissional para atuação no SUS, alegando a transversalidade do tema SUS como a maior justificativa para esta afirmação. Os alunos se consideram preparados para a atuação na AB, mostrando-se instrumentalizados para este trabalho e apresentando bagagem teórica e prática satisfatória na área. CONCLUSÃO: Por fim, conclui-se que o IFRJ de fato forma seus estudantes para a atuação na AB, pautado nas DCN, na percepção dos alunos.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.