DIMENSIONAMENTO DO DESCONHECIMENTO LÉXICO DOS ESTUDANTES DO CURSO DE FISIOTERAPIA DURANTE A LEITURA DA CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE, INCAPACIDADE E SAÚDE - CIF

Paulo Henrique Ferreira de Araujo Barbosa, Raquel Cristina Machado Cavalcanti, Juliana de Faria Fracon e Romão, Emerson Fachin-Martins

Resumo


INTRODUÇÃO: A definição de linguagem é todo sistema organizado de sinais que serve como meio de comunicação entre os indivíduos, que para ser efetiva, é necessário um equilíbrio entre os elementos da linguagem, principalmente a compreensão de seu conteúdo. A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) é uma ferramenta preconizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) que aborda um novo e ideal modelo de saúde, possuindo um vasto campo de conteúdo e com grande léxico. Tendo isso por base, quando utilizada por estudantes durante a graduação, há uma estranheza dos termos e isso pode aumentar o distanciamento do estudante com a CIF, podendo ser uma barreira para a compreensão de seu conteúdo – uma limitação no processo de comunicação. OBJETIVOS: Dimensionar o desconhecimento lexical de estudantes do curso de fisioterapia durante leitura da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. METODOLOGIA: Utilizou-se amostra de conveniência formada por todos os estudantes de Fisioterapia matriculados e que estavam presentes na aula do dia 24/03/2015, na disciplina “Funcionalidade e Saúde”, ofertada pelo curso de Fisioterapia da Faculdade de Ceilândia, na Universidade de Brasília. A CIF, em sua versão na língua portuguesa falada no Brasil, foi fragmentada em 9 trechos consecutivos de aproximadamente 30 páginas cada um. Cada trecho foi distribuído para leitura de um dos integrantes de cada grupo de quatro a cinco estudantes. Cada estudante recebeu um formulário para declarar vocábulos desconhecidos identificados no momento da leitura. Uma vez identificado um vocábulo desconhecido por um dos integrantes do grupo, a leitura era interrompida para que o integrante anotasse o vocábulo. Neste mesmo formulário o estudante poderia também anotar um possível significado, caso ele quisesse. Posteriormente, os vocábulos e seu provável significado quando anotado foram analisados por dois julgadores cegos que verificaram a aproximação do significado apresentado pelo grupo com o significado real do vocábulo. Discordâncias entre os julgadores foram decididas por um terceiro julgador. RESULTADOS: Estavam presentes 37 estudantes de Fisioterapia com 19,8±1,5 (média±DP) anos de idade. Em todo o texto da CIF, 168 vocábulos foram declarados como desconhecidos. Os vocábulos foram desconhecidos por no máximo 16 e no mínimo 1 estudante. Dos estudantes que declararam vocábulos desconhecidos, 30% arriscaram colocar um possível significado, porém somente 18% deles aproximaram o significado colocado do significado real do vocábulo segundo os julgadores. O teste Kruskal-Wallis seguido de comparações múltiplas de Dunn entre os trechos analisados pelos grupos mostrou que os trechos 3, 4 e 9 foram os trechos com maior número de vocábulos desconhecidos. CONCLUSÃO: A CIF possui quase duas centenas de vocábulos desconhecidos por estudantes de Fisioterapia e estes vocábulos estão concentrados no interior e final do documento.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.