PROMOÇÃO DE ESTRATÉGIAS DE EDUCAÇÃO E SAÚDE PARA O CUIDADO DA PESSOA COM DOENÇA CRÔNICA: UM ESPAÇO PARA A FORMAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA

Angélica Facco, Elisete Cristina Krabbe, Themis Goretti Moreira Leal de Carvalho

Resumo


INTRODUÇÃO: Um grande desafio atual para as equipes de Atenção Básica é a Atenção em Saúde para as doenças crônicas. Estas condições são muito prevalentes, multifatoriais com coexistência de determinantes biológicos e socioculturais, e sua abordagem, para ser efetiva, necessariamente envolve as diversas categorias profissionais das equipes de saúde e exige o protagonismo dos indivíduos, suas famílias e comunidade. OBJETIVOS: Este projeto de pesquisa e extensão objetiva avaliar os determinantes sociais da saúde e fatores de risco para doenças crônicas, como o tabagismo, alcoolismo, alimentação não saudável, inatividade física e excesso de peso em pacientes cadastrados nas ESF de Tupanciretã/RS (ESF01, ESF02, ESF03 e ESF04). METODOLOGIA: O trabalho tem características de um estudo descritivo e analítico de rastreamento epidemiológico observacional que seguiu as recomendações preconizadas pelo Ministério da Saúde, 2014. A observação participante proposta por Demo (2004) permeou todas as atividades, captando uma variedade de situações ou fenômenos que auxiliaram na compreensão dos sujeitos do estudo. Os alunos, pesquisadores do estudo, foram capacitados em sala de aula e realizaram a coleta dos dados, juntamente com os profissionais atuantes em cada ESF, em visita domiciliar, por meio de entrevista e aplicação de protocolos específicos descritos no Caderno de Atenção Básica, número 35 - estratégias para o cuidado das pessoas com doenças crônicas (Ministério da Saúde, 2014). RESULTADOS: O projeto avaliou 86 pacientes, sendo 32 do gênero masculino e 54 do gênero feminino, todos portadores de alguma doença crônica. Foi constatado que 75% deles não praticam uma atividade física regular, 7% são fumantes e 45% ex-fumantes. Outro fator de risco pesquisado foi o Índice de Massa Corporal, que em 39% das pessoas menores de 60 anos foi > 40 - Obesidade Grau III e 72% das pessoas com mais de 60 anos de idade foi > 27 - excesso de peso/sobrepeso. Através dos resultados encontrados buscou-se qualificar o cuidado integral, unindo e ampliando as estratégias de promoção da saúde, de prevenção do desenvolvimento das doenças crônicas e suas complicações, e de tratamento e recuperação, através de um plano de educação para a saúde com informações e orientações individuais no domicílio. A Oficina intitulada "A festa da Vida", com a presença de todos os participantes do projeto e seus familiares foi o momento da socialização dos resultados, um momento de descontração - o 4° Arrastapé, com muitas atividades lúdicas, com a escolha da Rainha e do Rei e com muitas ações na busca de uma melhor qualidade de vida para todos. CONCLUSÃO: As pessoas com condições crônicas e seus familiares convivem com seus problemas diariamente por longo tempo, ou toda a vida. É fundamental que estejam muito bem informadas sobre suas condições, motivadas a lidar com elas e adequadamente capacitadas para cumprirem com o seu plano de tratamento. Precisam compreender sua enfermidade, reconhecer os sinais de alerta das possíveis complicações e saber como e onde recorrer para responder a isso. Os resultados alcançados são menos sintomas, menos complicações, menos incapacidades.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.