PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO DE PACIENTES COM A DOENÇA DE CHARCOT-MARIE-TOOTH

Lidiane Carine Lima Santos Barreto, Paula Santos Nunes, Iandra Maria Pinheiro de França Costa, Catarina Andrade Garcez Cajueiro, Gabriel Mattos Goes, Cynthia Coelho de Souza, Adriano Antunes de Souza Araújo, Eduardo Luis de Aquino Neves

Resumo


INTRODUÇÃO: A doença de Charcot-Marie-Tooth (CMT) caracteriza-se por provocar uma degeneração lenta e progressiva dos nervos periféricos, levando à atrofia e à fraqueza dos músculos distais dos membros, sendo a neuropatia geneticamente determinada mais prevalente em crianças e adultos com uma frequência estimada de 1:2.500. As formas mais comuns da doença de CMT são classificadas como tipo 1(forma desmielinizante) e tipo 2(forma axonal). OBJETIVOS: Objetivo: Conhecer o perfil sociodemográfico de portadores da doença de Charcot-Marie-Tooth. METODOLOGIA: Estudo epidemiológico de corte transversal realizado no interior do estado de Sergipe com 76 indivíduos de 5 famílias com a doença de CMT. A técnica de coleta de dados utilizada foi a entrevista com aplicação de um questionário no período de 2013-2015. RESULTADOS: 43 (57%) dos entrevistados eram do tipo 2 (CMT2) e 33 (43%) do tipo 1 (CMT1), 42 (55%) foram do sexo feminino e 34 (45%) do sexo masculino, a faixa etária variou de 11 a 82 anos (37,17±17,62). Quanto à situação educacional, observou-se que 13 (17%) eram analfabetos ou analfabetos funcionais e a maioria (43%) cursaram o ensino fundamental incompleto. Em relação ao estado civil houve uma homogeneidade entre o número de indivíduos casados e solteiros 32 (42%) cada. No que se refere à ocupação, observou-se que as profissões mais frequentes foram costureira/ bordadeira, lavrador e do lar, no entanto 13% estavam inativos e 28% aposentados por invalidez. Em relação a renda familiar mensal, cerca de 45% recebem 1 salário mínimo. CONCLUSÃO: A realização deste estudo forneceu indicadores para o planejamento de ações de promoção da saúde dos indivíduos com a doença de CMT, tendo em vista as limitações físicas e o impacto na qualidade de vida. Palavras-chave: Doença de Charcot-Marie-Tooth; epidemiologia; saúde pública.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.