EDUCAÇÃO E CIDADANIA, SEUS REFLEXOS NA ESCOLA E NA VIDA DE UMA JOVEM COM A DOENÇA DE CHARCOT-MARIE-TOOTH

Lidiane Carine Lima Santos Barreto, Paula Santos Nunes, Iandra Maria Pinheiro de França Costa, Catarina Andrade Garcez Cajueiro, Gabriel Mattos Goes, Adriano Antunes de Souza Araújo, Eduardo Luis de Aquino Neves

Resumo


INTRODUÇÃO: Educar é um ato que visa à convivência social e a cidadania. A educação escolar, além de ensinar o conhecimento científico, deve assumir a incumbência de preparar as pessoas para o exercício da cidadania. A cidadania é entendida como o acesso aos bens materiais e culturais produzidos pela sociedade, e ainda significa o exercício pleno dos direitos e deveres previstos pela Constituição da República. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: uma jovem tímida de 12 anos, G.J.S., estudante do ensino fundamental de uma escola no interior de Sergipe foi orientada pela professora a deixar de frequentar a escola, uma vez que a mesma não conseguia segurar a caneta para fazer sua prova teórica, segundo a professora ela não teria como avaliá-la. A jovem estudante é tem uma neuropatia periférica hereditária, Charcot-Marie-Tooth, e apresenta atrofias, perda de massa muscular e deformidades nas mãos e nos pés, causando limitações funcionais graves para marcha e realização de tarefas da vida diária. No entanto, a doença não causa nenhum tipo de comprometimento intelectual, apenas físico. Sabendo desta história, a equipe multidisciplinar de pesquisadores procurou a escola e esclareceu a todos sobre o que era a doença e como a escola deveria auxiliar na formação dos seus alunos, já que educação é um direito de todos. Por fim, a escola entendeu seu papel, a aluna continuou seus estudos, embora tenha ficado traumatizada, pois a partir deste dia passou um ano sem falar com pessoas que não fossem da família, totalmente introspectiva. A equipe de pesquisadores acompanha a jovem desde 2010, atualmente com 17 anos, interrompeu os estudos, casou-se e tem uma filha IMPACTOS: Este é apenas um dos indicativos da importância da educação para a cidadania, da participação em nível local, contribuindo para o processo de democratização e ampliação da conquista de direitos de cidadania. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A educação para a cidadania pretende fazer de cada pessoa um agente de transformação. Isso exige uma reflexão que possibilite compreender as raízes históricas da exclusão em que vive boa parte da população.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.