OFICINA DE INFORMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA ACADÊMICA DE INTERGERACIONALIDADE NA UNIVERSIDADE ABERTA À PESSOA IDOSA-UNAPI/UFMS

Suzi Rosa Miziara Barbosa, Jessica de Oliveira, Nayara Almada Acosta

Resumo


INTRODUÇÃO: A UnAPI/UFMS faz parte do Programa de Promoção dos Direitos Humanos da Pessoa Idosa, que visa o protagonismo, a qualidade de vida e o envelhecimento ativo. A oficina de informática tem como objetivo promover a inclusão digital e aumentar a auto-estima, de forma a combater a exclusão da vida em sociedade. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: A oficina é oferecida duas vezes por semana, com duração de 90 minutos e participam desta 12 idosos. O planejamento das atividades respeita o nível cognitivo de cada individuo e é desenvolvido pelos acadêmicos dos cursos de Administração, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Fisioterapia. As atividades iniciaram com as ações básicas de acesso ao computador e o manuseio do mouse, seguida pelos recursos e programas Microsoft Office Word, Excel, Jogos e Internet. A utilização do “Word” possibilitou conhecimentos do teclado, digitação e formatação de texto, sendo uma ferramenta para o exercício da memória, da coordenação visando estimular a organização dos pensamentos através da escrita e favorecer o raciocínio lógico. O Excel utilizando tabelas e fórmulas permitiu o controle de finanças e resolução de operações matemáticas. Através da Internet foi possível o acesso a estratégias inclusivas por meio das comunidades virtuais como facebook e e-mail facilitando o contato entre pessoas e a navegação por busca de notícias para se manter atualizados e integrado ao mundo digital. Os jogos foram utilizados com objetivo de favorecer a concentração, o raciocínio, cognição, coordenação e a memória. IMPACTOS: A oficina favorece a melhora da memorização, cognição, convívio social, aumento do contato familiar e com amigos, facilitar a comunicação à distância e diminuir o sentimento de solidão e isolamento, contribuindo para a melhora da qualidade de vida. Novos conhecimentos são imprescindíveis para manter o cérebro ativo e assim evitar perda de memória, depressões e instalação de comorbidades característica do envelhecimento. Outro fator importante é estimular as habilidades de coordenação motora que contribuem para a manutenção das atividades de vida diária. O empoderamento obtido por meio dos conhecimentos da informática estimulam a autonomia e a independência nivelando o conhecimento para todas as idades. A oficina para os acadêmicos desperta a necessidade de desenvolver competências na área da informática para a elaboração das aulas, contribui para aquisição de habilidades para ensinar os idosos, e consequentemente permiti o estabelecimento da intergeracionalidade de forma a possibilitar o fortalecimento do dialogo, o intercambio de conhecimento e a troca de experiências. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A participação na oficina contribui para o processo de formação profissional, pois por meio desta é possível desenvolver habilidades que não estão vinculadas a estrutura curricular dos cursos de graduação. Os acadêmicos desenvolveram competências, tornando-se uma ferramenta de convívio que contribui para aquisição de habilidades para ensinar, de forma a possibilitar maior capacidade empática, e aprimorar sua percepção sobre a senescência. Esta, colaborou com o processo de construção e formação pessoal, que fortalece a sociedade para todas as idades, além de ser um exercício de cidadania."

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.