PROMOÇÃO DA SAÚDE COM UM GRUPO DE IDOSOS - UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Alexandre Martins, Patricia Martins, Racquel Silva, Thayse Rodrigues, Tiago Castello Costa

Resumo


INTRODUÇÃO: O conceito de promoção da saúde propõe a articulação dos saberes técnicos e populares, bem como a participação de agentes institucionais e comunitários na elaboração de uma nova realidade de hábitos de saúde pautada por um estilo de vida mais sadio determinado por diversos fatores como boas condições de habitação, higiene, saneamento, trabalho, educação, aspectos socioculturais, acesso aos serviços de saúde, entre outros (BUSS, 2000). Patrocínio e Pereira (2013) discorrem sobre a escassez de práticas instituídas para a formação e acompanhamento desses trabalhos, bem como sobre a falta de compreensão da sociedade e dos profissionais em relação ao processo de envelhecimento, o que repercute negativamente nos idosos que chegam a esses programas. Para que os profissionais da saúde atuem, de fato, nas demandas solicitadas e necessárias aos idosos, Scardoelli e Waidman (2011) apresentam as atividades de grupo como uma estratégia promissora, pois oferecem ao indivíduo um aprendizado sistematizado, onde a troca de experiências e o vínculo construído facilitam a prática de hábitos de vida mais saudáveis. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: Doze estagiários do Curso de Fisioterapia da Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS em conjunto com a sua professora desenvolveram um trabalho com um grupo de idosos do Pró-Maior, programa desenvolvido dentro do CCIAS – Centro de Cidadania e Ação Social, na cidade de São Leopoldo/RS pela UNISINOS. O objetivo deste trabalho foi desenvolver atividades de promoção da saúde a partir da identificação das demandas do grupo. As atividades ocorreram em 8 encontros semanais com a duração de 1 hora entre abril e junho de 2015, sendo que a média de participantes por encontro foi de 11 idosos de ambos os sexos. Buscando a convivência grupal e a socialização dos componentes do grupo, durante os encontros foram abordados temas como artrose, osteoporose, exercícios físicos, alongamentos, coluna vertebral, postura e alimentação saudável. IMPACTOS: A excelente participação dos idosos no desenvolvimento das atividades contribuiu para o sucesso das mesmas. Durante os encontros eles manifestaram suas dúvidas, curiosidades e experiências através de suas histórias de vida, possibilitando uma troca de saberes e de experiência entre alunos, idosos e professora fortalecendo o vínculo entre esses atores. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Ao iniciarmos este trabalho não imaginávamos o quanto esta experiência mudaria nossa visão em relação ao trabalho em grupo. Foi desafiador criarmos atividades que contemplassem a todos, abordando promoção da saúde de forma dinâmica e que despertasse o interesse dos idosos. Para interagirmos com o grupo escolhemos uma abordagem centrada na integralidade do sujeito e em seus determinantes de saúde e não pautada no modelo biomédico, no qual o profissional de saúde tem foco na doença e na transmissão unilateral de saberes. Assim, essa experiência nos proporcionou um real aprendizado sobre a humanização no cuidado e o quanto é importante os idosos terem um espaço para a troca de vivências que potencialize as suas capacidades valorizando o desenvolvimento da autonomia e da ajuda recíproca no cuidado de si mesmo, do outro, do ambiente e da comunidade a qual pertencem."

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.