O PAPEL DA MONITORIA NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM

Augusto César Alves de Oliveira, Vivianne de Lima Biana, Emanuelle Soraya Pereira da Silva, Amanda Caroline Souza Melo, Delys da Silva Cavalcante, Luan Victor de Almeida Souza, Maria Camila Chaves, Mayara Porangaba Barros

Resumo


INTRODUÇÃO: O processo ensino-aprendizagem é um complexo sistema de interações comportamentais entre professores e alunos. Esse processo promove o diálogo entre o conteúdo formal, que é o conteúdo curricular e os conteúdos únicos que são as vivências, histórias e individualidade, tanto do professor como do aluno, sujeitos do processo educativo. Neste sentido, a monitoria se enquadra perfeitamente neste processo, pois é um instrumento de ensino que colabora na formação do aluno nas atividades de ensino, pesquisa e extensão da graduação, propiciando ao monitor a oportunidade de compartilhar (aprendendo e ensinando) seus conhecimentos com os alunos, bem como na vivência docente. Por isto, a monitoria passa a ter responsabilidade no processo da docência universitária, assim como também na qualidade da formação profissional, contribuindo no planejamento das ações pedagógicas. Sendo assim, o presente relato tem por objetivo descrever a experiência acadêmica de um grupo de monitores da disciplina de Fisioterapia na Terceira Idade do curso de fisioterapia da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL), destacando contribuição destes no processo ensino-aprendizagem. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: A monitoria tem duração de um ano e consiste em seis horas semanais de atividades, sendo duas horas de acompanhamento e auxílio nas aulas práticas e teóricas, e as demais dedicadas outras atividades pedagógicas. As tarefas desempenhadas pelo monitor são realizadas de maneira a conciliar todas as suas atividades acadêmicas sem prejuízo. O monitor atua de forma pró-ativa em conjunto com o professor realizando atividades, tais como: planejamento de ensino, orientação dos alunos, organização do material e do ambiente pedagógico, discussão antes e depois das aulas, discussão sobre temas docentes, reuniões científicas com professor e monitor considerando suas percepções, idéias e observações sobre processo ensino-aprendizagem. Em todas as atividades há um acompanhamento direto do docente, o que permite avaliação e melhora constante na formação e atuação do monitor na sua relação docente-monitor e monitor-aluno. Com tudo isso há o desenvolvimento de habilidades e competências que estabelecem uma experiência relevante em seu caminho acadêmico, uma vez que contribuirá para a sua formação em termos de ensino. IMPACTOS: Os impactos desta atividade são sentidos no desenvolvimento de habilidades e competências pedagógicas para processo ensino-aprendizagem. Há um compartilhamento de responsabilidade durante todo o processo pedagógico, familiarizando o monitor com o dia a dia da atividade docente, propiciando solidez na sua formação acadêmica. A partir da oportunidade de experimentar uma maior interação com o ambiente acadêmico, o aluno pode descobrir os pontos fortes e fracos de sua formação acadêmica, bem como potencialidades que podem ser trabalhadas. CONSIDERAÇÕES FINAIS: A monitoria mostrou-se como uma atividade relevante para o crescimento pessoal e profissional. As atividades desempenhadas pelos monitores representaram uma oportunidade de vivenciar intensamente o processo de ensino-aprendizagem sob o olhar da docência, caracterizada pela dinâmica constante da troca de conhecimento entre discentes, monitores e docente. Com isso percebe-se que o monitor pode atuar como um elo na relação ensino-aprendizagem.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.