TESTE DE PROGRESSO COMO FERRAMENTA PARA A GESTÃO ACADÊMICA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA

Fernando Antônio de Lima Junior, Nathalia de Souza Abreu, Plinio dos Santos Ramos, Djalma Rabelo Ricardo, Rinaldo Henrique Aguilar-Da-Silva

Resumo


INTRODUÇÃO: O Teste de Progresso é uma avaliação longitudinal do desenvolvimento cognitivo dos estudantes aplicado durante o curso de graduação e tem por objetivo não só avaliar o desempenho cognitivo dos estudantes, assim como aspectos do próprio curso de graduação, sem caráter de aprovação, reprovação ou classificação. Essa ferramenta foi introduzida nos Cursos de Medicina na década de 1970 pela University of Limburg, hoje Universidade de Maastricht (Holanda) e pela Kansas City Medical School da Universidade de Missouri (USA). Atualmente vem sendo utilizado por outros cursos da área da saúde, em especial na Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora (FCMS/JF) – Suprema, o Curso de Fisioterapia aplica o TP desde 2010. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA: O TP que é aplicado com periodicidade anual aos estudantes de Fisioterapia da FCMS/JF é constituído por 50 questões de múltipla escolha com quatro alternativas divididas nas áreas: básica e profissionalizante, a mesma prova é aplicada aos estudantes do 1º ao 8º períodos, sendo de caráter obrigatório e formativo. As questões são construídas no contexto da vivência prática visando aplicação de princípios ou soluções que requeiram processo mental complexo (raciocínio, reflexão e julgamento), evitando simples memorização. Os resultados do teste são analisados em função do período do curso e do percentual de acertos por questão proposta. Para cada estudante é enviado o seu resultado individual para que o mesmo possa verificar o seu desempenho em relação a sua turma e ao seu curso, sendo este sigiloso para não gerar um ranking entre os mesmos, uma vez que esse não é o objetivo do TP. IMPACTOS: O TP em si é uma oportunidade de aprendizagem, sendo disponibilizado ao aluno o caderno de provas e acesso ao gabarito, justificativa e referências de todas questões da prova. Conscientizando o estudante sobre a necessidade de continuamente avaliar o seu processo de aprendizagem, identificando fragilidades e fortalezas, pessoais e do curso, buscando ativamente seu próprio aprimoramento e o da sua faculdade. Para a coordenação de ensino o TP é uma importante ferramenta para a identificação de fragilidades no currículo do curso promovendo sempre que necessário ajustes para minimizar as fragilidades encontradas CONSIDERAÇÕES FINAIS: A avaliação dos resultados permite que a coordenação de graduação do curso avalie, em associação com outras ferramentas as áreas em que os estudantes estão apresentando maiores dificuldades, buscando correção e aprimoramento dos processos de ensino-aprendizagem de forma global e por áreas específicas.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.