O TRABALHO EM EQUIPE EM ENFERMARIA DE ALTA DEMANDA: EQUIPE POR NECESSIDADE

Érica de Moraes Santos Corrêa, Josephine Izabela Nascimento Rodrigues, Diego Jovino Luduverio, Lívia Rocha Auni Ibrahim, Vinicius Santos Sanches, Gustavo Christofoletti, Laís Alves de Souza Bonilha

Resumo


INTRODUÇÃO: O trabalho em equipe é fundamental no âmbito dos serviços de saúde, indo além dos benefícios organizacionais ao agregar possibilidades de humanização e responsabilização dos profissionais. OBJETIVOS: Avaliar a interação e experiência do trabalho conjunto na enfermaria neurológica em hospital de grande porte e alta complexidade e relacionar sua influência na qualidade do cuidado. METODOLOGIA: Foi avaliada a equipe multiprofissional composta por enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, nutricionista, fonoaudiólogo e terapeuta ocupacional. As entrevistas foram semi-estruturadas, realizadas em três turnos de trabalho, em dois dias consecutivos e contiveram questões sobre a experiência e vivência do trabalho em equipe. A análise dos dados foi feita através da Análise de Conteúdo de Bardin, que consta das etapas de pré-análise, exploração do material, tratamento dos resultados, inferência e interpretação das respostas. RESULTADOS: 28 profissionais foram entrevistados, sendo as categorias resultantes: tempo de serviço (os que estão inseridos há pouco tempo cometem erros e aparentam insegurança e os de maior tempo são avessos a mudanças), experiências prévias (a recepção dos novos colegas é espelhada na própria iniciação na instituição), sobrecarga de trabalho (o volume de trabalho interfere para a solicitação de auxílio, para o distanciamento e para a falha na recepção de novos profissionais), equipe por necessidade (o trabalho conjunto é realizado por necessidade do cuidado e não por afinidade), gestão do cuidado (a presença de protocolos clínicos e instituição de rotinas favorece o trabalho conjunto) e relações interpessoais (há poucas referências a relações espontâneas e afetivas). CONCLUSÃO: O trabalho em equipe em enfermaria com pacientes de alta demanda ocorre por necessidade da ajuda de outro profissional. Há discriminação pelo tempo de serviço na instituição e a sobrecarga de trabalho é um agravante na qualidade da atenção dispensada aos colegas de trabalho e pacientes. Os protocolos clínicos, as experiências prévias positivas e as relações interpessoais contribuem para as ações coletivas, embora as últimas ocorram com pequena frequência.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.