QUALIDADE DE VIDA DOS PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA SUBMETIDO AO TRATAMENTO DE HEMODIÁLISE NO MUNICÍPIO DE CARATINGA - MG

Leandro Gomes Barbieri, Marcus Vinícius Mello Pinto, Marcos Alves Magalhães, Danielle Gonçalves Fernandes Vieira Barbieri

Resumo


INTRODUÇÃO: No atual momento do Sistema Único de Saúde (SUS) as doenças crônicas requerem tratamentos de custo elevados para a União, Estados e Municípios. Entre eles está a Insuficiência Renal Crônica (IRC), que é causada pela Hipertensão Arterial e a Diabetes Mellitus. Com o aumento populacional do Brasil no século passado, realmente observou que a doença renal é problema de saúde pública, onde os números de pacientes aumentam mais do que o crescimento populacional brasileiro. OBJETIVOS: Avaliar a qualidade de vida em pacientes com Insuficiência Renal Crônica que realizam tratamento de Hemodiálise na Clirenal Ltda, estabelecimento de saúde localizado na cidade de Caratinga, Minas Gerais. METODOLOGIA: Um estudo descritivo, do tipo transversal e inclui uma abordagem quantitativa com objetivo de avaliar a qualidade de vida dos pacientes com Insuficiência Renal Crônica, submetidos ao tratamento de hemodiálise no município de Caratinga - MG, correlacionando a qualidade de vida com o tempo de tratamento, sexo e diabetes mellitus. RESULTADOS: Participaram do estudo 103 pacientes que responderam ao questionário genérico de qualidade de vida MOS 36 Item Short-Form Health Survey (SF-36). Os dados coletados foram submetidos à análise estatística, observando-se prejuízo na qualidade de vida maior nos pacientes do sexo feminino, com diabetes mellitus e com maior tempo de tratamento. CONCLUSÃO: Mesmo vivendo com uma doença que causa forte impacto na vida das pessoas, o presente estudo contribui para ampliar o entendimento sobre esse tema, principalmente para que profissionais de saúde que atuam ou pretendem atuar com pacientes portadores de insuficiência renal crônica, percebam a necessidade de avaliar a qualidade de vida destas pessoas. Para que possam promover transformações pertinentes com a realidade.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.