QUALIDADE DE VIDA DOS TRANSPORTADORES DE CARGA DO PORTO SECO DE URUGUAIANA

Evanir Miranda da Silva, Camila Ceolin da Silva, Cristiane Fraga Moro, Felipe Alves Jachstet, Mariane de Medeiros Figueiredo, Valdecir Zavarese da Costa, Jaqueline de Souza

Resumo


INTRODUÇÃO: Para a Organização Mundial de Saúde, qualidade de vida (QV) é a percepção do indivíduo de sua posição na vida, no contexto cultural e de valores nos quais ele vive e, também, em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações. O conceito de QV consiste em três níveis: avaliação total do bem-estar e domínio global (físico, psicológico, econômico, espiritual e social). A saúde, por sua vez, é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença ou enfermidade. O questionário Medical Outcomes Study 36 Item Short-Form Health Survey (SF-36) relaciona a qualidade de vida aos aspectos de saúde geral e tem sido muito utilizado em estudos prévios para comparar diferentes populações. OBJETIVOS: O presente estudo teve como objetivo avaliar a qualidade de vida dos profissionais transportadores de carga (caminhoneiros) que utilizam o Porto Seco de Uruguaiana/RS como rota internacional de trânsito de cargas. METODOLOGIA: Este Porto Seco é o maior da América Latina e os profissionais caminhoneiros contribuem ativamente para a economia da cidade e região. Assim, a amostra do estudo foi composta, segundo cálculo amostral prévio, por 388 motoristas de ambos os sexos. O trabalho foi avaliado e aprovado pelo Comitê de Ética local da Unipampa e desenvolvido no Porto Seco. Como instrumento de avaliação utilizou-se o SF-36, aplicado durante três meses e, que avaliou oito componentes: capacidade funcional, aspectos físicos, dor, estado geral de saúde, vitalidade, aspectos sociais, aspectos emocionais e saúde mental. Os dados foram analisados descritivamente. RESULTADOS: Os resultados de quatro escores (capacidade funcional, limitação física, aspectos sociais e emocionais) mostraram que a grande maioria (mais de 70%) dos caminhoneiros encontra-se na faixa do percentil de 90 a 100, indicando excelentes escores nestes componentes. Na avaliação de dois componentes (dor física e estado geral de saúde) 24% e 23% dos caminhoneiros, respectivamente, enquadraram-se nos percentis inferiores a 70, apontando para algumas restrições na qualidade de vida decorrente a estes fatores. Os demais componentes avaliados mostraram-se medianos, com a maioria entre percentis 70 a 100. Possivelmente há fatores ergonômicos e relacionados à função motora de repetição que pode estar impactando a saúde, em relação às dores físicas corporais. No mesmo sentido, o resultado do estado geral de saúde pode refletir os problemas já descritos na literatura sobre esta população, tais como: hipertensão e diabetes. CONCLUSÃO: Conclui-se que os caminhoneiros do Porto Seco de Uruguaiana apresentam boa qualidade de vida relacionada à saúde.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Cadernos de Educação, Saúde e Fisioterapia foi avaliada como B2 na área de Ensino, B3 na área de Serviço Social, B4 nas áreas de Saúde Coletiva, Interdisciplinar, Enfermagem e Educação Física e B5 na área de Medicina II e Arquitetura, Urbanismo e Design no QUALIS/CAPES - Quadriênio 2013-2016.