Educação Permanente em Movimento - uma política de reconhecimento e cooperação, ativando os encontros do cotidiano no mundo do trabalho em saúde, questões para os gestores, trabalhadores e quem mais quiser se ver nisso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2015v1n1p07-14

Palavras-chave:

Pessoal de Saúde, Educação Permanente, Trabalho, Saúde pública

Resumo

Educação Permanente em Movimento - uma política de reconhecimento e cooperação, ativando os encontros do cotidiano no mundo do trabalho em saúde, questões para os gestores, trabalhadores e quem mais quiser se ver nisso  

Biografia do Autor

Emerson Elias Merhy, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professor titular de saúde coletiva. UFRJ, Macaé

Referências

Yuka, M. Entrevista. Rev Cult. (145):16-20 Acessado em: 19 nov 2014.

Merhy, EE, Feuerwerker LCM, Ceccim RB. Educación permanente en salud: una estrategia para intervenir en la micropolítica del trabajo en salud. Salud Colectiva. 2006;2(2):147-160.

Gomes, MPC, Merhy, EE, organizadores. Pesquisadores IN-MUNDO: Um estudo da micropolítica da produção do acesso e barreira em saúde mental. Porto Alegre: Rede Unida; 2014: 55-87.

Gomes, MPC, Cipriano, RC, Freire, JT, Merhy, EE, Abrahão, AL, Silva, E, Vianna, L, Tallemberg, C. Acesso às multiplicidades do cuidado como enfrentamento das barreiras em saúde mental; Histórias de R-. In: Gomes, MPC, Merhy, EE, organizadores. Pesquisadores IN-MUNDO: Um estudo da micropolítica da produção do acesso e barreira em saúde mental. Porto Alegre: Rede Unida; 2014: 55-87.

Merhy, EE. Vista do ponto de vista, cuidado e formação em saúde. Vídeo aula, em Campo Grande, junho de 14. Disponível em: http://saudemicropolitica.blogspot.com.br/2014/06/merhy-video-aula-em-campo-grande-junho.html. Acesso em: 19 nov 2014.

Franco, TB; Merhy, EE. Trabalho, Produção do Cuidado e Subjetividade em Saúde. São Paulo: Hucitec, 2013.

Merhy, EE, Feuerwerker, L.C.M. Novo olhar sobre as tecnologias de saúde: uma necessidade contemporânea. In: Mandarino, ACS, Gomberg, E. organizadores. Leituras de novas tecnologias e saúde. São Cristovão, Salvador: UFS e UFBA, 2009: 29-56.

Silva, E. As múltiplas linguagens na teatralidade circense. Tese de doutorado. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2003.

Foucault, M. Hermenêutica do sujeito. São Paulo: Martins Fontes; 2010.

MERHY, EE. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec, 2002.

Merhy, EE, Gomes, MPC, Silva, E, Santos, MFL, Cruz, KT, Franco, TB. Redes Vivas: multiplicidades girando as existências, sinais da rua. Implicações para a produção do cuidado e a produção do conhecimento em saúde. Sine data. Disponível em: . Acessado em: 19 nov 2014.

Merhy, EE. A Perda da Dimensão Cuidadora na Produção da Saúde: Uma Discussão do Modelo Assistencial e na Intervenção no seu modo de Trabalhar a Assistência. Disponível em: < www.hc.ufmg.br/gids/perda.doc> Acessado em nov 2014.

Deleuze, G, Guattari, F. Mil platôs - vol. 1 Capitalismo e esquizofrenia, 2ed. São Paulo: Editora 34, 2011.

Moebus, R. Apresentação em evento. Seminário de Pesquisa do Observatório de Políticas e Cuidado em Saúde. Setembro 2014. Programa de Pós-Graduação em Clínica Médica UFRJ. Rio de Janeiro – RJ.

Silva, E. O circo sua arte e seus saberes: O circo no Brasil do final do século XIX a meados do XX: Dissertação de mestrado apresentada ao departamento de história do instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas: Universidade de Campinas. 1996.

Downloads

Publicado

2014-12-15

Edição

Seção

Artigo de Opinião