NÃO É SÓ UM PROBLEMA DE "SATISFAÇÃO DOS USUÁRIOS": CONSIDERAÇÕES SOBRE A PARTICIPAÇÃO DOS USUÁRIOS NA AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA

Maria Augusta Nicoli, Ardigò Martino, Brigida Lilia Marta, Gabriel Calazans Baptista, Cristian Fabiano Guimaraes, Francesco Sintoni, Alcindo Antonio Ferla

Resumo


Frente as transformações do novo cenário epidemiológico global, os sistemas e os serviços de saúde do Brasil e da Itália estão reorientando a lógica da assistência para produzir novas formas de cuidado, através da Atenção Primaria em Saúde (a Política Nacional de Atenção Básica e a Estratégia Saúde da Família no Brasil; a implantação das Casas da Saúde na Itália), destacando a importância de colocar no centro dos processos de produção de cuidado os indivíduos e a comunidade, com os próprios valores, objetivos e trajetórias de vida. Na literatura destaca‐se que para sustentar estas inovações atividades de pesquisa, avaliação e formação sejam necessárias e devem ser desenvolvidas em todos os níveis do sistema de saúde, desde o macro até o micro, levando em conta a estrutura do sistema onde os serviços de saúde estão inseridos, e os determinantes sociais, políticos e econômicos do contexto de referência. A partir destas considerações apresentamos aqui os resultados de um estudo exploratório cujo objetivo é aprofundar as dimensões ético‐políticas, culturais, sociais e técnicas da avaliação em Primary Health Care. Mais especificadamente, foi colocado em debate o cenário brasileiro e o sistema de avaliação do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e Qualidade da Atenção Básica‐ PMAQ, a respeito da fase de avaliação externa ‐ Módulo III, Satisfação e percepção dos usuários quanto ao acesso e utilização dos serviços de saúde. Elemento de inovação desta pesquisa é o foco no desenvolvimento de metodologias de análise e ação multi‐locais e multi‐situadas, que permitem a conexão entre atores interinstitucionais em nível local e promovem a estruturação de redes internacionais de troca de boas práticas entre diferentes territórios.


Palavras-chave


Atenção Primaria; PMAQ; Avaliação; Participação

Texto completo:

PDF

Referências


Labonté R, Schrecker T. Globalization and the social determinants of health: A diagnostic overview and agenda for innovation. Part 1,2,3 Globalization and Health; 2007.

World Health Organization - WHO: Prevenire le malattie croniche un investimento vitale: rapporto globale dell’Oms; 2005. ISBN 88-88734-13-9

World Health Organization. "The World Health Report 2008: Primary health care (now more than ever)." 2008.

Mendes EV, O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2012.

Victora CG, Barreto ML, Do Carmo Leal M, Monteiro CA, Schmidt MI, Paim J, Bastos FI, Almeida C, Bahia L, Travassos C, Reichenheim M, Barros FC, and the Lancet Brazil Series Working Group. Health conditions and health-policy innovations in Brazil: the way forward. Lancet, 2011; 377: 2042–53.

Magnussen, Lesley, John Ehiri, and Pauline Jolly. "Comprehensive versus selective primary health care: lessons for global health policy." Health affairs, 2004; 23(3): 167-176.

Krieger N. Epidemiology and the web of causation: has anyone seen the spider? Social Science and Medicine, 1994; 39(7):887-903.

Good B. (1999), Narrare la malattia. Lo sguardo antropologico sl rapporto medico-paziente, Einaudi, Torino.

Brasil. Ministerio da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Politica Nacional de Atenção Básica, Disponível em: . Acesso em: 08 mar 2016.

Brasil. Ministerio da Saúde. Departamento de Atenção Básica, Estratégia de Saúde da Família Disponível em: . Acesso em: 08 mar 2016.

Itália. Azienda Sanitária Regione Emilia Romagna. Cure primarie in salute. Disponível em: . Acesso em: 08 mar 2016.

Mezirow J. Transformative learning: Theory to practice. New directions for adult and continuing education, 1997; 74: 5-12.

Viacava F, Ugá MA, Porto S, Laguardia J, Moreira RS. Avaliação de Desempenho de Sistemas de Saúde: um modelo de análise / Evaluation of performance of health systems: a model for analysis. Ciênc. saúde coletiva, abril/2004; 17(4):921-934.

Conilll EM. Ensaio histórico-conceitual sobre a Atenção Primária à Saúde: desafios para a organização de serviços básicos e da Estratégia Saúde da Família em centros urbanos no Brasil, Cad. Saúde Pública, 2008; 241(s7-s16).

Tanaka OY, Melo C. Uma proposta de abordagem transdisciplinar para avaliação em Saúde, Interface - Comunicação, Saúde, Educação 2000; 4(7).

Nickel DA, Calvo MCM, Nata Sl, Freitas SFT, Hartz ZMA. Desenvolvimento da capacidade avaliativa na gestão da atenção básica: um estudo de caso exemplar em Santa Catarina, Brasil, de 2008 a 2011 / Cad. Saúde Pública, abril/2014; 30(4):839-850.

Franco TB, Merhy EE, Trabalho, produção docuidado e subjetividade em saúde. textos reúnidos Hucitec Editora, São Paulo; 2013.

Mezirow J. Transformative learning: Theory to practice. New directions for adult and continuing education. 1997; 74:5-12.

Mertens DM. Transformative research and evaluation. Guilford press; 2008.

Daniela Alba, Nickel; Sonia, Natal; Zulmira Maria de Araújo, Hartz; Maria Cristina Marino, Calvo. O uso de uma avaliação por gestores da atenção primária em saúde: um estudo de caso no Sul do Brasil.Cad. Saúde Pública, janeiro/2014; 30(12):2619-2630.

Guba E, Lincoln Y. Fourth generation evaluation. Newbury Park: Sage Publications; 1989.

Legge, David G et al. "Micro macro integration: Reframing primary healthcare practice and community development in health." Critical Public Health, 2007; 17(2):171-182.

Martino A et al. O Ensino como Ferramenta de Transformação Social e Promoção da Saúde: a experiência dos Centros de Estudos e Pesquisa em Saúde Internacional e Intercultural (CSI) da Universidade de Bologna. Interface (Botucatu. Impresso), v.Suplemento, 2012:160.

Brasil. Ministerio da Saúde. Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade na Atenção Básica. Disponivel em: . Acesso em: 8 mar 2016.

Sanjek R. A Vocabulary for Fieldnotes. in Sanjek R. Fieldnotes: The makings of anthropology. Cornell University Press. 1990:92-122.

Heritage J. “Conversation analysis and institutional talk”Silverman D. Qualitative Research: Theory, Method and Practice. SAGE Publications, London; 2004:222-246.

Potter J. "Discourse analysis as a way of analysing naturally occurring talk." in Silverman D. Qualitative Research: Theory, Method and Practice. SAGE Publications, London; 2004:200-222.

Silverman D, Amir M. “Doing qualitative research: A comprehensive guide”. Sage, London; 2008:52-54.

Vilaça Mendes E. A APS no Brasil, in O Cuidado Das Condições Crônicas Na Atenção Primária À Saúde: O Imperativo Da Consolidação Da Estratégia Da Saúde Da Família, Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2012.

Realpe A, Wallace L. "What is co-production." London: The Health Foundation. 2010.

Bowling A et al. The measurement of patients’ expectations for health care: a review and psychometric testing of a measure of patients’ expectations; 2012:3.

Lakoff G. Don’t think of an elephant, Kindle Edition; 2006.

Olivetti Manoukian F. Produrre Servizi. Lavorare con oggetti immateriali, collana "Studi e Ricerche", il Mulino, Bologna; 1998.

Bowling A et al. "The measurement of patients’ expectations for health care: a review and psychometric testing of a measure of patients’ expectations"; 2012.

Maciocco G. Politica, salute e sistemi sanitari. Le riforme dei sistemi sanitari nell'era della globalizzazione, Il Pensiero Scientifico; 2009.




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2016v2n1p23-42

DOI (PDF): https://doi.org/10.18310/2446-48132016v2n1.658g79

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. Novidade 2019: a Saúde em Redes foi aprovada para indexação na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorimDOAJ; COLECIONASUS