O “PROGRAMA MAIS MÉDICOS” E O TRABALHO VIVO EM SAÚDE EM UM MUNICÍPIO DA AMAZÔNIA, BRASIL

Autores

  • Julio César Schweickardt FIOCRUZ Amazonas
  • Rodrigo Tobias Lima Fiocruz Amazonas
  • Alcindo Antônio Ferla Universidade Federal do Rio Grande do Sul https://orcid.org/0000-0002-8884-1124
  • Ardigó Martino Universidade de Bolonha

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2016v2n3p328-341

Palavras-chave:

Política de Saúde, Gestão em Saúde, Atenção Primária em Saúde, Amazônia.

Resumo

O artigo tem como objetivo compreender os modos como se dá a produção do trabalho na Atenção Básica na relação com médicos do Programa Mais Médicos num contexto específico da região amazônica. Trata-se de um estudo de caso com abordagem qualitativa, embasado pela abordagem analítica proposta por Emerson Merhy e Túlio Franco na dimensão micropolítica do trabalho e nos aspectos multiculturais da saúde. Foram realizadas entrevistas com os médicos e com o gestor municipal no mês de outubro de 2015. O município analisado se caracteriza por ter um contexto multiétnico e ser de fronteira. A maioria da população faz parte de uma das 22 etnias e falam as 11 línguas da região, trazendo desafios para a atenção à saúde. Os efeitos do Programa Mais Médicos na Atenção Básica em Saúde são de contar com a presença regular do profissional médico na equipe, possibilitando a construção do cuidado de modo mais permanente tanto do profissional quanto da equipe como um todo. Ficou clara que a diminuição da rotatividade criou as condições para uma oferta de serviços com qualidade. 

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e de Educação em Saúde. Mais Médicos – Dois anos : Mais Saúde para os Brasileiros. (Ministério da Saúde, 2015). at <http://cdnmaismedicos.elivepress.com.br/images/PDF/Livro_2_Anos_Mais_Medicos_Ministerio_da_Saude_2015.pdf>

COLLAR, J.M. NETO, J.B.A.; FERLA, A. Formulação e Impacto do Programa Mais Médicos na Atenção e Cuidado em Saúde: contribuições iniciais e Análise Comparativa. 2015. Revista Saúde em Redes. Porto Alegre: Rede Unida. Disponível: http://revista.redeunida.org.br/ojs/index.pup/rede-unida/article/view/591.

FERLA, A. et al. O Programa Mais Médicos e a Política Nacional de Atenção Básica (PNAB): Analisando efeitos nas políticas e práticas no sistema de saúde brasileiro. Porto Alegre: UFRGS, 2015. (2015).

OLIVEIRA, F. P. de et al. Mais Médicos: um programa brasileiro em uma perspectiva internacional. Interface - Comun. Saúde, Educ. 19, 623–634 (2015).

SANTOS, L. M. P., Costa, A. M. & Girardi, S. N. Programa Mais Médicos: uma ação efetiva para reduzir iniquidades em saúde. Cien. Saude Colet. 20, 3547–3552 (2015).

BRASIL., M. da S. D. de A. B. Política Nacional de Atenção Básica. (Ministério da Saúde, 2012). at <http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf>

SOUZA, M. L. P. Apontamentos sobre as especificidades da supervisão acadêmica em área indígena no ambito do Programa Mais Médico para o Brasil: O caso do estado do Amazonas. Tempus - Actas Saúde Coletiva 9, 191–197 (2015).

IBGE. ATLAS DO CENSO DEMOGRÁFICO 2010. (2013). at <http://censo2010.ibge.gov.br/apps/atlas/>

MERHY, E. E. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. (Hucitec, 2002).

FRANCO, T. B. & MERHY, E. E. Cartografias do Trabalho e Cuidado em Saúde. Tempus Actas de Saúde Coletiva 6, (2012).

MERHY, E.; FRANCO, T. Por uma Composição Técnica do Trabalho em Saúde cent rada no campo relacional e nas tecnologias leves. Apontando mudanças para os modelos tecnoassistenciais. (2003).

MERHY, E. E. Reestruturação Produtiva e Transição Tecnológica na Saúde. (2005). at <http://www.professores.uff.br/tuliofranco/textos/reestruturacao_produtiva_e_transicao_tecnologica_na_saude_emerson_merhy_tulio_franco.pdf>

MERHT, E. E.; FRANCO, T. Trabalho, produção do cuidado e subjetividade em saúde. (Hucitec, 2013).

Downloads

Publicado

2017-02-02

Edição

Seção

Artigos Originais