Procedimento operacional padrão em instituições de longa permanência para idosos: a importância do cuidado com a higiene

Maiara da Silva Brandão Rodrigues, Rebeca Lopes Oliveira, Caren Lorena Menezes Freitas, Luanda Karina Oliveira de Sousa Barbosa, Danielle Silva dos Santos, Anderson Patrício dos Santos Portela, Adriana Valéria da Silva Freitas

Resumo


Trata-se de um relato de experiência, intitulado “Procedimento operacional padrão em instituições de longa permanência para idosos: a importância do cuidado com a higiene”, cujo objetivo foi relatar a experiência de estudantes de graduação em enfermagem na elaboração e apresentação do POP com foco no cuidado com a higiene (íntima, oral e corporal) em uma ILPI. Esta atividade fez parte da prática de estudantes de graduação em enfermagem. A partir da experiência vivenciada foi possível a construção dos POPs sobre higiene íntima, bucal e corporal. A construção do POP com essa temática suscitou a aproximação entre cuidadoras e gestoras da ILPI no que tange a discussão mais abrangente sobre o cuidado às pessoas idosas residentes, dando enfoque às singularidades de cada morador, que por sua vez requerem um cuidado individualizado e condizente com as peculiaridades do processo de envelhecimento.

Palavra-chave: Idosos; ILPI; Educação continuada;


Texto completo:

PORTUGUÊS

Referências


MOREIRA, Morvan de Mello. O envelhecimento da população brasileira: intensidade, feminização e dependência. Belo Horizonte:Universidade Federal de Minas Gerais; 1997. Disponivel em: . Acesso em: 26 abr 2018.

MIRANDA, Gabriella Morais Duarte et al. O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, V. 19, p 507-519, Rio de Janeiro; 2016. Disponivel em: . Acesso em: 26 abr 2018.

BRASIL. Rdc Anvisa nº 283, de 26 de setembro de 2005. Regulamento Técnico Para O Funcionamento das Instituições de Longa Permanência Para Idosos. p. 1-13. Disponivelem . Acesso em: 04 maio 2018.

FERREIRA, Fernanda PrettiChalet et al. Serviços de atenção ao idoso e estratégias de cuidado domiciliares e institucionais. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 17, n. 4, p.911-926, Rio de Janeiro, 2014. Disponível em . Acesso em: 26 abr 2018.

SILVA, Marylane Viana da; FIGUEIREDO, Maria do Livramento Fortes. Idosos institucionalizados: uma reflexão para o cuidado de longo prazo. 2012. 3 f. TCC (Graduação) - Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2012. Disponível em: . Acesso em: 28 abr 2018.

PEREIRA, Lilian Rodrigues et al. Avaliação de procedimentos operacionais padrão implantados em um serviço de saúde. Arquivos de Ciências da Saúde, v. 24, n. 4, p. 47-51, 2017. Disponivel em . Acesso em: 28 abr 2018.

RIBEIRO, Patricia Cruz Pontifice Sousa Valente. O cuidado geriatrico: modos e formas de confortar. 2016. 70 f. Tese (Doutorado) - Universidade Catolica Portuguesa, Portugal, 2017. Disponivel em . Acesso em: 04 maio 2018.

BRITO VIEIRA, Chrystiany Plácido de et al. Práticas do cuidador informal do idoso no domicílio. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 64, n. 3, 2011.




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2018v4n3p%25p

DOI (PORTUGUÊS): https://doi.org/10.18310/2446-48132018v4n3.1815g310

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. Novidade 2019: a Saúde em Redes foi aprovada para indexação na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorimDOAJ; COLECIONASUS