Desafios da assistência pré-natal em um município no interior da Amazônia.

Luana Carla Lima de Almada, Camila de Almeida Silva, Andréa Reni Mendes Mardock, Zilma Nazaré De Souza Pimentel

Resumo


Objetivo: identificar por meio dos questionários aplicados às gestantes e aos profissionais da saúde quais os obstáculos enfrentados na assistência do Pré-natal em duas Unidades Básicas de Saúde no interior da Amazônia, tendo como base o Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento (PHPN). Métodos: adotou-se a abordagem quantitativa, qualitativa, descritiva e observacional, sendo a análise temática, combinada a princípios da hemenêutica e dialética, utilizada no tratamento e inter­pretação dos dados. Participaram 56 pessoas, das quais 50 são gestantes e 6 são profissionais. Resultados: 68% das gestantes não tinham reclamações quanto ao atendimento que recebiam, mas 20% reclamaram da falta de tempo para as consultas, no ponto de vista dos profissionais os maiores obstáculos do atendimento humanizado são a falta de estrutura e da equipe multiprofissional, o que variou conforme o perfil socioeconômico da UBS. Conclusão: as deficiências de estrutura e a falta de profissionais diversificados no Pré-natal são os principais obstáculos do atendimento humanizado nesse setor.


Palavras-chave


Gestante. Humanização. Assistência Pré-natal.

Texto completo:

PORTUGUÊS

Referências


- Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher: Princípios e Diretrizes. 1ª ed. Brasília: Editora MS; 2011.

- Brasil. Ministério da Saúde(MS). Secretaria Nacional de Programas Especiais de Saúde. Assistência integral à saúde da mulher: bases de ação programática. Brasília: Centro de Documentação do Ministério da Saúde, 1984. Série B. Textos Básicos de Saúde.

- Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria Executiva. Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento. Brasília: MS; 2002. nº43. Série C. Projetos, Programas e Relatórios.

- Serruya SJ, Lago TG, Cecatti JG. O panorama da atenção pré-natal no Brasil e o Programa de Humanização do Pré-natal e Nascimento. Rev. Bras. Saúde Matern. Infantil 2004; 4 (3): 269-279.

- Teixeira E. As três metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 8ª Ediçao. Petrópolis, 2011.

- Oliveira SL. Tratado de Metodologia Científica: Projetos de pesquisas, TGI, TCC, monografias, dissertações e teses. 2ª. ed. São Paulo, 1999.

- Bardin L. Análise de conteúdo. 2ª. ed. São Paulo, 2011.

- Minayo, MCS. O desafio do conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. 4ª.ed. São Paulo: Hucitec-Abrasco; 1996

- Rios CTF; Vieira NFC. Ações educativas no pré-natal: reflexão sobre a consulta de enfermagem como um espaço para educação em saúde. Rev. Ciên. e Saude Coletiva 2007; 12 (2): 477-486.

- Vieira SM; Bock LF; Zocche DA, Pessota CU. Percepção das puérperas sobre a assistência prestada pela equipe de saúde no pré-natal. Texto e contexto – enfermagem 2011; 20(especial): 255-262.

- Camillo BS; Nietsh EA; Salbego C; Cassenote LG; Osto DSD; Bock A. Ações de Educação em Saúde na Atenção Primária a Gestantes e Puerpéras: Revisão Integrativa. Rev. de Enfermagem UFPE,2016;10 (6): 4894-4901.

- Bertin RL; Parisenti J; Vasconcelos FAG. Métodos de avaliação do consumo alimentar de gestantes: uma revisão. Rev. Bras. de Saúde Mater. Infantil 2006; 6 (4): 383-390.

- Falcone VM; Custódia NM; Nascimento CFL; Santos JMM; Nóbrega. Atuação multiprofissional e a saúde mental de gestantes. Rev. Saúde Pública, 2005; 39 (4): 612-618.

- Rocha RS, Silva MGC. Assistência pré-natal na rede básica de Fortaleza-CE: uma avaliação da estrutura, do processo e do resultado. Rev. Bras. de Promoção a Saúde 2012; 25(3): 344-355.

- Granja GF; Zoboli ELCP;Forte PAC; Fracolli LA. Equidade no sistema de saúde brasileiro: uma teoria fundamentada em dados. Rev. Baiana de Saúd. Pública 2010; 34(1):72-86.

- Braverman, Paula. Health disparities and health equity: concepts and measurement, Annual Review of Public Health, 2006;27(1):167-194.

- Figueiredo PP; Rossoni E. O acesso à assistência pré-natal na Atenção Básica à Saúde sob a ótica das gestantes. Rev. Gaúcha de Enf 2008; 29(2): 238-245.

- Rede Brasileira de Enfermagem e Segurança do Paciente REBRAENSP/Polo RSRede. Rede Brasileira de Enfermagem e Segurança do Paciente. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2013.

- Costa DKP; Arruda LP; Magalhães AR; Abreu LDP; Ponte KMA;Freitas CHA. Cuidados de enfermagem no pré-natal e segurança do paciente: revisão integrativa. Rev. de enfermagem UFPE 2016;10 (6): 4909-4919.




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2020v6n2p%25p

DOI (PORTUGUÊS): https://doi.org/10.18310/2446-48132020v6n2.2332g509

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. Novidade 2019: a Saúde em Redes foi aprovada para indexação na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorimDOAJ; COLECIONASUS