Atividade educativa envolvendo graduandos de uma universidade pública acerca do envelhecimento saudável: um relato de experiência

José Wilian de Carvalho, Francisco José de Araújo Filho, Izabhel Chrystine Pereira de Souza, Romelia Silva de Sousa, Sayra Carolina Leal, Cristhiano Neiva Santos Barbosa

Resumo


Objetivo: Relatar a experiência da realização de uma intervenção educativa envolvendo graduandos de uma universidade do município de Picos (PI) tratando acerca do processo de envelhecimento saudável. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo, do tipo relato de experiência, desenvolvido a partir das ações de uma intervenção educativa realizada por graduandos do curso de bacharelado em enfermagem de uma universidade pública do munícipio de Picos (PI) no mês de dezembro de 2018 como atividade avaliativa da disciplina de saúde do adulto e do idoso II. Resultados e discussão: A atividade contou com o emprego de metodologias ativas, dinamizadas e lúdicas, que fez os estudantes refletirem sobre a importância da adoção de modos de vida e cuidados que favoreçam a saúde e uma melhor qualidade de vida na terceira idade. Conclusão: A atividade fez com que os participantes se envolvessem com o tema, percebendo a importância do envelhecimento saudável, e mostrou que o enfermeiro deve focar ainda mais na educação em saúde, pois a população ainda não está bem conscientizada sobre boas práticas de vida.

Palavras-chave


Envelhecimento Saudável; Educação em Saúde; Promoção da Saúde

Texto completo:

PORTUGUÊS

Referências


Dourado MB et al. Percepção dos graduandos de enfermagem sobre o seu envelhecimento. Rev Bras Enferm. 2015 mar-abr; 68(2):278-83.

Veras RP, Oliveira M. Envelhecer no Brasil: a construção de um modelo de cuidado. Ciência & Saúde Coletiva, 23(6):1929-1936, 2018.

Santos Junior AG et al. Caracterização sociodemográfica e a autopercepção das condições de saúde de idosos. Revista de enfermagem UFPE online. Recife, n. 12, v.3, p. 692-700, 2018.

Ciosak SI et al. Senescência e senilidade: novo paradigma na Atenção Básica de Saúde. Rev Esc Enferm USP 2011; 45(Esp. 2):1763-8.

World Health Organization. World report on ageing and health [Internet]. Geneva: WHO; 2015 [acesso em 18 mai. 2019]. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/186463/1/9789240694811_eng.pdf?ua=.

Tavares RE et al. Envelhecimento saudável na perspectiva de idosos: uma revisão integrativa. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, 2017; 20(6): 889-900.

Valer DB et al. O significado de envelhecimento saudável para pessoas idosas vinculadas a grupos educativos. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, 2015; 18(4):809-819.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Atlas do Censo Demográfico 2017. Situação de idosos no Brasil em 2012 e 2017. Rio de Janeiro: IBGE, [2017]. [acesso em 18 mai. 2019]. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/20980-numero-de-idosos-cresce-18-em-5-anos-e-ultrapassa-30-milhoes-em-2017.

Leite MT et al. Concepções de envelhecimento e velhice na voz de universitários. Rev. Bras. Pesq. Saúde, Vitória, 17(1): 48-55, jan-mar, 2015.

Esteves D et al. Nível de atividade física e hábitos de vida saudável de universitários portugueses. Revista Iberoamericana de Psicología del Ejercicio y el Deporte. Vol. 12, nº 2 (2017).

Faria YO et al. Prevalência de comportamentos de risco em adulto jovem e universitário. Acta Paul Enferm. 2014; 27(6):591-5.

Calado FSR et al. Ensino das práticas integrativas e complementares na formação em enfermagem. Revista de Enfermagem UFPE on line. Recife. v.13, n.1, p.261-267. 2019

BRASIL. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Dispõe sobre diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 13 jun. 2013. Disponível em: Acesso em: 10 jan. 2015.

Gonçalves D et al. Grupos com idosos: estratégia para (re)orientar o cuidado em saúde. Revista Conexão UEPG [en linea] 2013, 9. Disponible en: ISSN 1808-6578

Alexandre SG et al. Concepções de acadêmicos de enfermagem sobre o idoso e a velhice. Rev enferm UFPE on line. Recife, vol.10, n 12, p. 4606-11,2016.

Melo MC et al. A educação em saúde como agente promotor de qualidade de vida para o idoso. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.14, Supl. 1, p. 1579-1586, 2009.




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2020v6n2p%25p

DOI (PORTUGUÊS): https://doi.org/10.18310/2446-48132020v6n2.2447g531

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. Novidade 2019: a Saúde em Redes foi aprovada para indexação na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorimDOAJ; COLECIONASUS