A Participação Popular na saúde: desafios e potencialidades no contexto municipal

Autores

  • Jaqueline Miotto Guarnieri Universidade Federal da Fronteira Sul https://orcid.org/0000-0002-1727-4687
  • Sandra Mara Setti Prefeitura Municipal de Marau
  • Vanderleia Laodete Pulga Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2021v7n2p123-135

Palavras-chave:

Controle Social, Participação da comunidade, Conselhos de Saúde, Sistema Único de Saúde.

Resumo

Objetivo: Conhecer e analisar a participação popular em espaços legítimos de controle social em um município da região norte do Rio Grande do Sul. Método: Trata-se de uma pesquisa qualitativa, documental que utilizou da observação participante e de registros em diários de campo relativos às vivências junto a dois Conselhos Locais de Saúde, ao Conselho Municipal de Saúde e na Conferência Municipal de Saúde. Também, foram analisados os registros documentais desses conselhos. Resultados: Identificou-se pouca influência da participação popular no planejamento e construção das políticas municipais de saúde, ligada a questões como: desconhecimento sobre a função dos conselhos ou mesmo legislações por parte da população; valorização do saber técnico em detrimento do saber popular; e ausência de interação entre os conselhos locais e municipal. Em contrapartida, pode-se sugerir que os motivos que levaram algumas pessoas a investirem nesses espaços, especialmente nos Conselhos Locais de Saúde, estão relacionados à dinâmica dos conselhos e à forma como acolheu-se as demandas apresentadas. Evidenciou-se a criação de estratégias pela população, visando tornar suas necessidades parte da agenda política, como a preferência pelo contato direto com gestores ou figuras públicas, a busca por veículos de comunicação e a criação de amplas redes de apoio. Conclusões: Faz-se necessário encontrar formas de ler e compreender as ações e movimentos das classes populares como manifestações de participação popular, assim como construir estratégias mais eficazes de mobilização social na saúde e promover a capacitação de atores sociais, possibilitando a apropriação sobre sua função e empoderamento enquanto sujeito político.

Biografia do Autor

Jaqueline Miotto Guarnieri, Universidade Federal da Fronteira Sul

Graduada em Psicologia, pela Universidade de Passo Fundo (UPF) (2018); Especialista em Atenção Básica, com ênfase em Saúde da Família e Comunidade, pelo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) (2020); Mestranda em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); e-mail: jaquemguarnieri@gmail.com. ORCID: 0000-0002-1727-4687

Sandra Mara Setti, Prefeitura Municipal de Marau

Psicóloga graduada pela Universidade de Passo Fundo (UPF) (2011); Especialista em Gestão de Pessoas – Universidade de Passo Fundo (UPF) (2013); Mestra em Psicologia- Avaliação, Saúde e Intervenção pela Faculdade Meridional (Imed) (2019); psicóloga na Prefeitura Municipal de Marau desde 2015: atuação em Estratégias Saúde da Família e preceptora da Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS); e-mail: sandrasetti_@hotmail.com. ORCID: 0000-0002-3797-7945

Vanderleia Laodete Pulga, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)

Docente de Saúde Coletiva no Curso de Medicina e Coordenadora da Coremu e do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da UFFS/PF; Doutora em Educação  (ênfase na Saúde) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2014); Mestre em Educação (ênfase em Saúde e Gênero) pela Universidade de Passo Fundo (2003); Especialista em Docência na Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2015); Especialista em Preceptoria no SUS pelo Instituto Sirio Libanês (2017); Graduada em Filosofia pelo IFIBE/UPF (1998/2000); Integrante: Grupo Temático  Educação Popular em Saúde da Abrasco, da Rede Unida, da Articulação Nacional de Movimentos e Práticas de Educação Popular e Saúde,  do CMS/PF e educadora no Movimento de Mulheres Camponesas; e-mail: vanderleia.pulga@gmail.com. ORCID: 0000-0002-1918-0916

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Diário Oficial da União, 5 out. 1988.

BRASIL. Lei nº 8080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, 20 set. 1990.

BRASIL. Decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011. Regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a articulação interfederativa, e dá outras providências. Diário Oficial da União, 29 jun. 2011.

BRASIL. Lei Federal n.º 8.142 de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Diário Oficial União, 31 dez. 1990.

Liporini AARC. Os caminhos da participação e do controle social na saúde: estudo das realidades do Brasil e Espanha. [Tese de doutorado online] Franca: Universidade Estadual Paulista, Faculdade de História, Direito e Serviço Social, 2010 [acesso em 2020 jan. 22]. Disponível em: https://www.franca.unesp.br/Home/Pos-graduacao/ServicoSocial/andreiaaparecida.pdf

Valla VV. Sobre participação popular: uma questão de perspectiva. Cad. Saúde Pública [internet] 1998 [acesso em 2020 jan. 10]; 14 (supl. 2): 07-18. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v14s2/1322.pdf.

Minayo MCS. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 26 ed. Petropólis: Editora Vozes, 2007.

Lewgoy AMB, Arruda MP. Novas tecnologias na prática profissional do professor universitário: a experiência do diário digital. Revista Textos e Contextos: coletâneas em Serviço Social, Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004 (2):123-124.

Bardin L. Análise de conteúdo. 70 ed. São Paulo: Edições, 2011.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 453, de 10 de maio de 2012. Define diretrizes para instituição, reformulação, reestruturação e funcionamento dos Conselhos de Saúde. Diário Oficial da União, 10 maio 2012.

Cohn A. Estado e sociedade e as reconfigurações do direito à saúde. Rio de Janeiro: Ciência e Saúde Coletiva, 2003: 9-18.

Pereira IP, Chai CG, Dias RS, Loyola CMD, Pacheco MAB . Ministério Público, Conselhos Municipais de Saúde e as práticas do diálogo interinstitucional. Saúde soc. [internet], 2019 [acesso em 2020 jan. 20]; 28 (2):111-123. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-12902019000200009&script=sci_arttext&tlng=pt.

Valla VV. Educação e Participação Popular - Revendo o debate em torno da participação popular: ampliando sua concepção em uma nova conjuntura. In: BARATA, R.G. (org.). Doenças Endêmicas: abordagens sociais, culturais e comportamentais. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz; 2000 :251-268.

Nogueira MA. Em defesa da política. São Paulo: SENAC, 2001.

Tatagiba L. Os conselhos gestores e a democratização das políticas públicas no Brasil. In: DAGNINO, E. (org.). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002: 47-103.

Cruz PJSC; Vieira SCR, Massa NM, Araújo TAM, Vasconcelos ACCP. Desafios para a Participação Popular em Saúde: reflexões a partir da educação popular na construção de conselho local de saúde em Comunidades de João Pessoa, PB. Saúde Soc. [internet] 2012 Abr. [acesso em 2020 dez. 22]; 21 (4): 1087-1100. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/sausoc/v21n4/v21n4a25.pdf.

Colliselli L, Reibnitz KS, Kleba ME, Comerlatto D. Conselho de Saúde: Uma reflexão sobre os processos de participação dos conselheiros. Rev. Grifos [internet]. 2012 [acesso em 2020 dez. 20]; (32/33): 191-212. doi: 10.22295/grifos.v21i32/33.2408.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 95, de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias para instituir o Novo Regime Fiscal e dá outras providências. Diário Oficial da União, 16 dez. 2016.

Morosini MVGC, Fonseca AF, Lima LD. Política Nacional de Atenção Básica 2017: retrocessos e riscos para o Sistema Único de Saúde. Saúde debate [internet]. 2018 [acesso em 2019 nov. 20]; 42, (116): 11-24. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v42n116/0103-1104-sdeb-42-116-0011.pdf.

BRASIL. Decreto nº 9759, de 11 de abril de 2019. Extingue e estabelece diretrizes, regras e limitações para colegiados da administração pública federal. Diário Oficial da União, 2019.

BRASIL. Decreto nº 8.243, 23 de maio de 2014. Institui a Política Nacional de Participação Social - PNPS e o Sistema Nacional de Participação Social - SNPS, e dá outras providências. Diário Oficial da União, 2014.

Viacava F, Oliveira RAD, Carvalho CC, Laguardia J, Bellido JGl. SUS: oferta, acesso e utilização de serviços de saúde nos últimos 30 anos. Ciênc. saúde coletiva [internet], 2018 Jun [acesso em 2019 nov. 20]; 23 (6):1751-1762. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v23n6/1413-8123-csc-23-06-1751.pdf.

Downloads

Publicado

2021-07-22

Edição

Seção

Artigos Originais