Um paradoxo civilizatório: a pandemia como desafio ao ensino e trabalho na saúde e como afirmação das vidas

Alcindo Antônio Ferla, Emerson Elias Merhy, Gabriel Calazans Baptista, Júlio Cesar Schweickardt, Maria Augusta Nicoli, Maria das Graças Alves Pereira, Maria Rocineide Ferreira da Silva, Miguel Ángel Orozco Valladares, Ricardo Burg Ceccim, Ardigò Martino, Túlio Batista Franco

Resumo


Editorial

Palavras-chave


COVID-19; Trabalho em Saúde; Sistemas e Serviços de Saúde; Saúde Internacional.

Texto completo:

PORTUGUÊS ESPANHOL FRANCÊS

Referências


Mbembe A. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção e política da morte. Arte & Ensaios, Revista do PPGAV/EBA/UFRJ, n. 32, dezembro de 2016, p. 122-151. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/ae/article/view/8993/7169. Acesso em 28/05/2020.

Brasil. Assembleia Nacional Constituinte. Constituição da República Federativa do Brasil. 1988. Brasília, 5 de outubro de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 28/05/2020.

Foucault M. Microfísica do poder. 8ª Edição. Rio de Janeiro: Graal; 1989.

Brecht B. Antologia poética de Bertold Brecht [recurso eletrônico]. Disponível em: https://farofafilosofica.com/2018/02/07/bertold-brecht-7-livros-para-download-cinco-pecas-uma-antologia-poetica-e-100-poesias/. Acesso em 01/07/2020.

MERHY EE. Saúde: cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec, 2002.

Ceccim RB, Ferla AA. Educação e saúde: ensino e cidadania como travessia de fronteiras. Trab. educ. saúde [online]. 2008, vol.6, n.3, pp.443-456. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/tes/v6n3/03.pdf. Acesso em 01/07/2020.

Santos M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record; 2001.

Santos, BS. La cruel pedagogia del vírus. Buenos Aires: CLACSO, 2020.




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2020v6n2p1-6

DOI (PORTUGUÊS): https://doi.org/10.18310/2446-48132020v6n2.3215g484

DOI (ESPANHOL): https://doi.org/10.18310/2446-48132020v6n2.3215g476

DOI (FRANCÊS): https://doi.org/10.18310/2446-48132020v6n2%20Suplem.3215g506

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. Novidade 2019: a Saúde em Redes foi aprovada para indexação na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorimDOAJ; COLECIONASUS