Desenvolvimento de Líderes em Pesquisa e Extensão: o Papel de uma Associação de Representatividade Estudantil

Angela Theresa Zuffo Yabrude, Letícia Nunes Campos, Rebeca Maria Gomes Guimarães Alves, Rodrigo Ribeiro de Almeida, Arthur Caminha De Araujo Costa, Matheus Gaspar de Miranda, Lucas Loiola Ponte Albuquerque Ribeiro, Maria Eugênia Alcântara Albano

Resumo


A essência da extensão universitária se pauta na emancipação da sociedade, culminando na indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, aspecto de interesse das instituições de ensino superior e dos discentes, visando o exercício da cidadania. Assim, iniciativas que destaquem a relação entre pesquisa e extensão são de extrema relevância. Nesse contexto, a International Federation of Medical Students Associations of Brazil (IFMSA Brazil) é uma organização que trabalha com intuito de fortalecer o tripé universitário e engajar novas lideranças nessas áreas. O principal objetivo deste estudo é discorrer sobre a atuação do time nacional de publicação, pesquisa e extensão da IFMSA Brazil da gestão 2019-2020 como recurso humano para formação de líderes em pesquisa e extensão, analisando o impacto deste trabalho no âmbito estudantil e universitário, da saúde pública e da comunidade. Este estudo observacional descritivo e retrospectivo tem como objeto de análise as atividades realizadas por este time, no período entre dezembro de 2019 a junho de 2020, em prol da formação de lideranças estudantil no cenário da pesquisa e extensão. Com isso, este trabalho demonstra como esse time não apenas enaltece o acesso à educação em pesquisa e em extensão, através de capacitações, divulgação de oportunidades, materiais, entre outras estratégias, mas também fomenta a liderança estudantil em 220 escolas médicas com o propósito de consolidar a saúde pública, a tradução do conhecimento, a responsabilidade social e o letramento em saúde.


Texto completo:

PORTUGUÊS

Referências


Universidade Estadual Paulista. Manual Dinâmico para Elaboração de Proposta de Projeto de Extensão Universitária e Iniciação à Extensão Universitária [Internet]. São Paulo; 2018. Available from: https://www2.unesp.br/portal#!/proex/projetos-de-extensao/manual-dinamico/

FORPROEX. Política Nacional de Extensão Universitária [Internet]. Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras. 2012. 68 p. Available from: http://proex.ufsc.br/files/2016/04/Política-Nacional-de-Extensão-Universitária-e-book.pdf

De Brito e Silva AL, Carneiro de Sousa S, Feitosa Chaves AC, Da Costa Sousa SG, Macedo de Andrade T, Reis da Rocha Filho D. Importância da Extensão Universitária na Formação Profissional: Projeto Canudos. Rev Enferm UFPE line. 2019;13.

Flores LF, Mello DT de. O IMPACTO DA EXTENSÃO NA FORMAÇÃO DISCENTE, A EXPERIÊNCIA COMO PRÁTICA FORMATIVA: UM ESTUDO NO CONTEXTO DE UM INSTITUTO FEDERAL NO RIO GRANDE DO SUL. Rev Conex UEPG [Internet]. 2020;16:1–13. Available from: https://www.revistas2.uepg.br/index.php/conexao/article/view/14465

Angulo-Tuesta A, Santos LMP, Natalizi DA. Impact of health research on advances in knowledge, research capacity-building and evidence-informed policies: A case study on maternal mortality and morbidity in Brazil. Sao Paulo Med J. 2016;134(2):153–62.

Mayo-Santana R. Scientific Representations at the UPR School of Tropical Medicine. II: The Evolution of Science, the First Two Eras (1926-31, 1932-1940). P R Health Sci J [Internet]. 2019;38(4):209–25. Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/31935306

Moita; FMG da SC, Andrade FCB de. Ensino-pesquisa-extensão : um exercício de indissociabilidade na pós-graduação. Rev Bras Educ. 2009;14(41).

Narley P, Lacerda1 M, Rodrigues De Souza2 L, Matsuura Endo3 R, Sacata MT, Nazima T. Extensão universitária na atualidade: a IFMSA Brazil como foco University extension today: IFMSA Brazil on focus. Rev Med [Internet]. 2015;94(2):81–7. Available from: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v.94i2p81-86

Bergner S. Being Smart Is Not Enough: Personality Traits and Vocational Interests Incrementally Predict Intention, Status and Success of Leaders and Entrepreneurs Beyond Cognitive Ability. Front Psychol. 2020;11(February):1–19.

Ferreira DT. Profissional da informação: perfil de habilidades demandadas pelo mercado de trabalho. Ciência da Informação. 2003;32(1):42–9.

Odelius CC, Ono RN, Abbad G da S, Albuquerque PHM. Social skills and attitudes for teamwork: scale development/Atitudes e habilidades sociais para trabalho em equipe: desenvolvimento de uma escala. RAC - Rev Adm Contemp. 2016;20(2):175.

Hunziker S, Tschan F, Semmer NK, Marsch S. Importance of leadership in cardiac arrest situations: From simulation to real life and back. Swiss Med Wkly [Internet]. 2013 Apr 18 [cited 2020 Oct 13];143(1516):13774. Available from: www.smw.ch

Provenzano BC, Ferreira DA V, Aranha RN. Liderança na educação médica. Rev do Hosp Univ Pedro Ernesto. 2014;13(4):26–31.

Rabarison K, Ingram RC, Holsinger JW. Application of situational leadership to the national voluntary public health accreditation process. Front Public Heal. 2013;1(AUG):26.

Canavarro AP, PALIS GDLR, Berticelli DD, MARTINS MF, VARANI A, Gatti BA, et al. Competências e habilidades para pesquisa em alunos de graduação de terapia ocupacional. Rev Diálogo Educ [Internet]. 2010;12(2):1355–79. Available from: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-58212009000300012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt%5Cnhttp://www2.pucpr.br/reol/index.php/dialogo?dd1=7196&dd99=view%5Cnhttp://www.apm.pt/files/_Quadrante_vol_XVI_2-2007-pp000_pdf081-118_4cfe480a1632

Davidson ZE, Palermo C. Developing Research Competence in Undergraduate Students through Hands on Learning. J Biomed Educ. 2015;2015:1–9.

Ianni PA, Samuels EM, Eakin BL, Perorazio TE, Ellingrod VL. Assessments of Research Competencies for Clinical Investigators: A Systematic Review. Eval Heal Prof. 2019;

Gowie M, Wilson D, Gregory S, Clark LL. Development of a core competency framework for clinical research staff. J Interprofessional Educ Pract [Internet]. 2020;18(November 2019):100301. Available from: https://doi.org/10.1016/j.xjep.2019.100301

Al-Jundi A, Sakka S. Critical appraisal of clinical research. J Clin Diagnostic Res. 2017;11(5):JE01–5.

Frank JR, Snell L, Sherbino J E. Royal College Publications [Internet]. CanMEDS 2015 Physician Competency Framework. Ottawa: Royal College of Physicians and Surgeons of Canada. 2015. 1–30 p. Available from: http://www.royalcollege.ca/portal/page/portal/rc/canmeds/resources/publications

Tenório MDP, Beraldi G. Iniciação científica no brasil e nos cursos de medicina. Rev Assoc Med Bras. 2010;56(4):390–3.

Azizi M, Hamzehgardeshi Z, Shahhosseini Z. Influential Factors for the Improvement of Peer Education in Adolescents: A Narrative Review. J Pediatr Rev. 2016;In Press(In Press).

Teles Cyrillo RJ, Setúbal S, da Silva Júnior CT, Coca Velarde LG, Tavares de Mattos ACM, da Silva Touça A, et al. Influence of a scientific initiation programme on scientific output of professors on a medical course in Brazil. Rev Port Pneumol (English Ed. 2008;14(5):635–45.

Conselho Federal de Medicina. Código de Ética do Estudante de Medicina. Brasília; 2018. 52 p.

EDUCAÇÃO M DA, SUPERIOR CNDE, EDUCAÇÃO C DE. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina. RESOLUÇÃO CNE/CES no 3 Brasil: Diário Oficial da União; 2014 p. 14.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica. Pesquisa Nacional de Saúde 2019 - Informações sobre domicílios, acesso e utilização dos serviços de saúde [Internet]. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica- IBGE. Rio de Janeiro; 2020. Available from: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv91110.pdf

Belchior MHC da S, Da Silva ARC, Padilha MAS. Compartilhando experiências em sala de aula à luz do engajamento e da liderança estudantil: um estudo do autorreconhecimento dos acadêmicos do curso de Hotelaria da UFPE, Brasil. Educ Por Escr. 2019;9(2):306.

Boelen C, Pearson D, Kaufman A, Rourke J, Woollard R, Marsh DC, et al. Producing a socially accountable medical school: AMEE Guide No. 109. Med Teach. 2016;38(11):1078–91.

Boelen C. Global consensus on social accountability of medical schools. Sante Publique (Paris). 2011;23(3):247–50.

International Federation of Medical Students Associations. What We Do [Internet]. IFMSA.org. 2017 [cited 2020 Oct 13]. Available from: https://ifmsa.org/what-we-do/

Levy H, Janke A. Health Literacy and Access to Care. J Health Commun [Internet]. 2016 Mar 28;21(sup1):43–50. Available from: http://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/10810730.2015.1131776

Nutbeam D, McGill B, Premkumar P. Improving health literacy in community populations: A review of progress. Health Promot Int. 2018;33(5):901–11.

Parnell TA, Stichler JF, Barton AJ, Loan LA, Boyle DK, Allen PE. A concept analysis of health literacy. Nurs Forum. 2019;54(3):315–27.




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2021v7n2p%25p

DOI (PORTUGUÊS): https://doi.org/10.18310/2446-48132021v7n2.3516g726

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes (ISSN 2446-4813) foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. A Saúde em Redes é indexada na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorim; Google Acadêmico; DOAJ; COLECIONASUS