AURICULOTERAPIA PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE: PERCURSOS POSSÍVEIS DA APRENDIZAGEM À IMPLANTAÇÃO NA UNIDADE DE SAÚDE

Autores

  • Glaucia Fragoso Hohenberger Grupo Hospitalar Conceição
  • Daniela Dallegrave Doutora em Educação, docente permanente do mestrado profissional em Avaliação e Produção de Tecnologias para o SUS – PPG ATSUS da Escola GHC

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2016v2n4p372-382

Palavras-chave:

práticas integrativas e complementares, atenção primária à saúde, saúde pública, educação profissional, tecnologias em saúde

Resumo

Este trabalho aborda a “Formação em auriculoterapia para os profissionais de saúde da Atenção Básica”, oferecida através da parceria entre a Universidade Federal de Santa Catarina e o Ministério da Saúde, destacando a trajetória de implantação do atendimento de auriculoterapia em uma Unidade de Saúde do município de Porto Alegre/RS. A inserção das PIC - Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde configura uma ação de ampliação de acesso e qualificação dos serviços, na perspectiva da integralidade da atenção à saúde da população; ademais, o espaço social das PIC tem valor antropológico e sua ascensão, juntamente com uma crise da atenção à saúde, reflete um cuidado à saúde mercantilizado e focado na doença, não no indivíduo e nas suas subjetividades. Trata-se de um relato de experiência em que a potencialidade está em compartilhar o impacto de uma formação em Auriculoterapia, repercutindo na implantação do atendimento em uma Unidade de Saúde da Família.

Biografia do Autor

Glaucia Fragoso Hohenberger, Grupo Hospitalar Conceição

Enfermeira, especialista em Saúde da Família e Comunidade pelo Grupo Hospitalar Conceição – GHC

Daniela Dallegrave, Doutora em Educação, docente permanente do mestrado profissional em Avaliação e Produção de Tecnologias para o SUS – PPG ATSUS da Escola GHC

Docente permanente do mestrado profissional em Avaliação e Produção de Tecnologias para o SUS – PPG ATSUS da Escola GHC

Referências

Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Pública. Formação em Auriculoterapia para profissionais de saúde da Atenção Básica. Módulos I, II, III, IV e V. Santa Catarina: Fett Educação e Ensino Ltda; 2016.

Luz MT. Medicina e racionalidades médicas: estudo comparativo da medicina ocidental contemporânea, homeopática, chinesa e ayurvédica. In: Canesqui, A.M. (Org.). Ciências Sociais e Saúde para o ensino Médico. São Paulo: HUCITEC/FAPESP; 2000. 181-200.

Merhy EE, Franco TB. Trabalho em Saúde. In: Dicionário da Educação Profissional em Saúde. Fundação Oswaldo Cruz; 2005. 278-284.

Santos MC, Tesser CD. Um método para a implantação e promoção de acesso às Práticas Integrativas e Complementares na Atenção Primária à Saúde. Cien Saude Colet. 2012; 17 (11): 3011-3024.

Lei Nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 set. 1990a.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS - PNPIC-SUS. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Kleinman A. Patients and healers in the context of culture: an exploration of the bordeland between anthropology, medicine and psychiatry. California: Regents; 1980.

Langdon EJ. Os diálogos da antropologia com a saúde: contribuições para as políticas públicas. Cien Saude Colet. 2014; 19, (4): 1019-1029.

Merhy EE. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec; 2002.

Garcia EG. Auriculoterapia. São Paulo: ROCA; 1999.

Neves ML. Manual prático de auriculoterapia. Porto Alegre: Merithus; 2014.

Bondía JL. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Rev bras educ. 2002; (19): 20-28.

Sousa IMC, Tesser CD. Medicina Tradicional e Complementar no Brasil: inserção no Sistema Único de Saúde e integração com a atenção primária. Cad Saúde Pública. 2017; 33 (1): 1-15.

Peduzzi M. Equipe multiprofissional de saúde: conceito e tipologia. Rev. Saúde Públ. 2001; 35 (1): 103-109.

Kleinman A. The failure of western medicine. Hum Nat. 1978; 1 (11): 63-70.

Lei 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 31 dez. 1990b.

Downloads

Publicado

2017-05-09

Edição

Seção

Artigos Originais