Gestar o real do corpo: o direito à maternidade possível

Danielle Vassalo Cruz, Daniela Ramos Garcia, Junia Vanesa Costa, Brenda Cecília Margarido, Heloísa Helena Maria, Isabel Magalhães da Silva, Flávio Ricardo Santos da Silva, Eduardo Ornelas de Oliveira, Rosimery Iannarelli, Roberta Kelly Soares Oliveira, Julio César Amaro

Resumo


Os autores apresentam narrativas e relato de experiência a partir das histórias dos sujeitos acompanhados pelo Consultório de Rua, dispositivo da Rede de Saúde Mental de Belo Horizonte, apresentando o “retrato” de mulheres gestantes nas cenas de uso de drogas. Violência de gênero, racismo e criminalização da pobreza são temas transversais à vida destas mulheres, que precisam fazer um esforço descomunal para tentar garantir o direito de permanecer com a guarda de seus filhos gestados. 


Texto completo:

PORTUGUÊS

Referências


BUARQUE, Chico. O meu guri. Disponível em: https://www.letras.mus.br/chico-buarque/66513/. Acesso em 25/11/2017

LACADÉE, Philippe. L’enfer, les anges et l’idiot; Tradução : Fabiana Campos Baptista. Belo Horizonte, 2014. Disponível em: http://www.encontrocampofreudiano.org.br/2014/11/lenfer-les-anges-et-lidiot.html

MINAS GERAIS. Portaria nº 3/VCIJBH, de 22 de Julho de 2016. Dispõe sobre o procedimento para encaminhamento de crianças recém-nascidas e dos genitores ao Juízo da Infância e da Juventude, assim como, oitiva destes, nos casos de graves suspeitas de situação de risco, e sobre o procedimento para aplicação de medidas de proteção. Diário do Judiciário Eletrônico TJMG. Belo Horizonte 2016. [acesso em 04 mai 2017]. Disponível em:

MORAES, Vinícius. A casa. Disponível em: https://www.letras.mus.br/vinicius-de-moraes/49255/. Acesso em: 9 setembro 2016.

SILVA, Rosimeire. No meio do caminho sempre haverá uma pedra. Belo Horizonte, 2011. Disponível em: http://www8.tjmg.jus.br/presidencia/programanovosrumos/pai_pj/revista/edicao02/3.pdf




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2018v4n1suplemp99-113

DOI (PORTUGUÊS): https://doi.org/10.18310/2446-48132018v4n1suplem.930g263

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. Novidade 2019: a Saúde em Redes foi aprovada para indexação na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorimDOAJ; COLECIONASUS