DA FRAGMENTAÇÃO À FORMAÇÃO INTERPROFISSIONAL: PROPOSTA DE UM MODELO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO PARA A GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA

Autores

  • Graciela Soares Fonsêca
  • Simone Rennó Junqueira Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP)
  • Carlos Botazzo Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP)
  • Maria Ercília de Araujo Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP)

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2017v3n4p410-424

Palavras-chave:

Relações interprofissionais, Estágio Clínico, Odontologia, Atenção Primária à Saúde.

Resumo

Objetiva-se apresentar uma proposta de Estágio Curricular Supervisionado (ECS) para os cursos de graduação em odontologia, no sentido de viabilizar uma Educação Interprofissional em serviços de Atenção Primária à Saúde (APS). Trata-se de estudo qualitativo, dividido em duas etapas. Na primeira, dois sujeitos realizaram a observação participante das clínicas de uma Unidade Básica de Saúde com um olhar direcionado para o potencial pedagógico da inserção interprofissional. As impressões e reflexões foram registradas em diários de pesquisa e os pesquisadores foram entrevistados individualmente. Na segunda etapa, 21 alunos de graduação em odontologia, 03 profissionais e 03 gestores de serviços públicos, que recebem alunos de graduação, foram entrevistados. O material coletado foi analisado pela triangulação de dados e pela hermenêutica-dialética. O recorte apresentado nesse trabalho descreve e analisa a experiência da imersão interprofissional (observação participante) e, após triangular o material coletado por meio de entrevistas e diários de pesquisa, apresenta uma proposta de ECS para os cursos de graduação em odontologia. Os resultados evidenciaram o potencial pedagógico da vivência interprofissional que permitiu maior compreensão da inter-relação das diversas clínicas com a saúde bucal e revelou elementos para construção do ECS. O modelo de ECS elaborado organiza-se de modo a permitir a Educação Interprofissional, a compreensão do processo saúde-doença, a integralidade da atenção e os aspectos inerentes à clínica ampliada de saúde. Acredita-se que esse modelo reverte-se de força para inquietar o instituído e fomentar processos de reorientação dos currículos de odontologia direcionados para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde.

Biografia do Autor

Simone Rennó Junqueira, Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP)

Departamento de Odontologia Social

Carlos Botazzo, Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP)

Departamento de Política, Gestão e Saúde

Maria Ercília de Araujo, Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP)

Departamento de Odontologia Social

Referências

Flexner A. Medical education in the United States and Canada. New York: Carnegie Foundation for the Advancement of Science, 1910. Disponível em < http://www. carnegiefoundation.org/files/elibrary > Acesso em: 02 dez. 2015.

Almeida Filho N. Bacharelado interdisciplinar em saúde: revolução na educação superior n campo da saúde? In: Teixeira, C. F.; Coelho, M. T. A. D. Uma experiência inovadora no ensino superior: bacharelado interdisciplinar em saúde. Salvador: EDUFBA, 2014. p. 11-22.

Gies WJ. Dental education in the United States and Canada: a report to the Carnegie Foundation for the advancement of teaching. New York: Carnegie Foundation, 1926.

Ceccim RB, Carvalho YM. Ensino da saúde na integralidade: a educação dos profissionais de saúde no SUS. In: Pinheiro R, Ceccim RB, Mattos RA. Ensinar saúde: a integralidade e o SUS nos cursos de graduação na área da saúde. Rio de Janeiro: CEPESC-IMS/UERJ/ABRASCO; 2011. p. 69-92.

Merhy EE. Ver a si o ato de cuidar. In: Capozzolo AA, Casseto SJ, Henz AO, organizadores. Clínica comum: itinerários de uma formação em saúde. São Paulo: Hucitec;2013. p.248-267.

Araujo ME. Palavras e silêncios na educação superior em odontologia. Ciênc Saúde Coletiva. 2006;11(1):179-82.

Botazzo C. Diálogos sobre a boca. São Paulo: Editora Hucitec; 2013.

Fonsêca GS. Formação pela experiência: Revelando novas faces e rompendo os disfarces da odontologia ‘in vitro’. [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Odontologia; 2015. Versão Original.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde, 2004. [citado 25 jun 2010]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_brasil_sorridente.pdf

Pucca-Junior GA, Costa JFR, Chagas LD, Silvestre RM. Oral health policies in Brazil. Braz Oral Res. 2009;23(Suppl):9-16.

Watt R, Sheiham A. Inequalities in oral health: a review of the evidence and recommendations for action. British Dental Journal. 1999Apr;187(1):6-12.

Marmot M. Social determinants of health inequalities. Lancet. 2005 Mar;365(19): 1099–104.

Pires FS, Botazzo C. Organização tecnológica do trabalho em saúde bucal no SUS: uma arqueologia da política nacional de saúde bucal. Saude soc., 2015 Mar; 24(1): 273-284.

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES No 3, de 19 de fevereiro de 2002. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Odontologia. Brasília; 2002. [citado 3 nov 2011]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES032002.pdf

Zilbovícius C. Implantação das Diretrizes Curriculares para os cursos de graduação em odontologia no Brasil: contradições e perspectivas [tese de doutorado]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Odontologia;2007.

World Health Organization (WHO). Framework for Action on Interprofessional Education and Collaborative Practice. Genebra: WHO/HRH/HPN/10.3; 2010. Disponivel em: http://www.who.int/ hrh/nursing_midwifery/en/ [acesso 2017 jul 12].

Way D, Jones L, Baskerville B, Busing N. Primary health care provided by nurse practitioners and family pshysicians in shared practice. JAMC. 165(9): 1210-14, 2001.

Batista N. A educação interprofissional na formação em saúde. In: Capozzolo AA, Casseto SJ, Henz AO, editores. Clínica comum: itinerários de uma formação em saúde. São Paulo: Hucitec;2013. p.59-68.

Peduzzi M, Norman, i. J.; Germani, A. C. C. G.; Silva, J. A. M. Souza, G. C. Educação interprofissional: formação de profissionais de saúde para o trabalho em equipe com foco nos usuários. Rev. esc. enferm. 2013 Ago. 47(4): 977-83.

Kolb D. Experiential learning-experience as the source of learning and development. New Jersey: Prentice-Hall;1984.

Berbel NAN. Conhecer e intervir: o desafio da metodologia da problematização. Londrina: EDUEL, 2001.

Silva TA, Junqueira SR. Cenários de prática no Sistema Único de Saúde e as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de Odontologia. Interdisciplinary Journal of Health Education. 2016 Ago-Dez;1(2):106-113.

Botazzo C. et al. Inovação na produção do cuidado em saúde bucal. Possibilidades de uma nova abordagem na clínica odontológica para o Sistema Único de Saúde. Projeto de pesquisa. São Paulo: Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo;2012.

Haguette TMF. Metodologias qualitativas na sociologia. 4ª ed. Petrópolis: Vozes, 1995. A observação participante. p. 390-94.

Botazzo C. et al. Inovação na produção do cuidado em saúde bucal. Possibilidades de uma nova abordagem na clínica odontológica para o Sistema Único de Saúde. Relatório Técnico. São Paulo; 2015.

Minayo MCS. Conceito de avaliação por triangulação de métodos. In: Minayo MCS, Assis SG, Souza ER, editores. Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2010.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12a ed. São Paulo: Hucitec Editora;2010.

Ceccim RB, Merhy EE. Um agir micropolítico e pedagógico intenso: a humanização entre laços e perspectivas. Interface - Comunic., Saúde, Educ. 2009; 13(1): 531-42.

Fonsêca GS, Junqueira SR, Carvalho YM, Araújo ME, Botazzo C. A clínica do corpo sem boca. Saude soc. 2016 Mar; 25(4): 1039-49.

Warmling CM, Rossoni E, Hugo FN, Toassi RFC, Lemos VA, Slavutzki SMB et al. Estágios curriculares no SUS: experiências da Faculdade de Odontologia da UFRGS. Rev da ABENO. 2011 Jul-Dez;11(2):63-70.

Bulgarelli AF, Souza KR, Baumgarten A, Souza JM, Rosing CK, Toassi RFCT. Formação em saúde com vivência no Sistema Único de Saúde (SUS): percepções de estudantes do curso de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Brasil. Interface (Botucatu). 2014 Mar;49:351-62.

Leme PAT, Pereira AC, Meneghim MC, Mialhe FL. Perspectivas de graduandos em odontologia acerca das experiências na atenção básica para sua formação em saúde. Cienc Saúde Coletiva 2015;20(4):1255-65.

Fonsêca GS, Junqueira SR. Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde da Universidade de São Paulo (Campus Capital): o olhar dos tutores. Ciênc Saúde Coletiva. 2014b;19(4):1151-62.

Fonsêca GS, Junqueira SR. Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde: Ressignificando a formação dos profissionais de saúde. Curitiba: Editora Appris. 2014a. 200p.

Freire P. Pedagogia do oprimido. 47ª ed. São Paulo: Paz e Terra;2008.

Forte FDS, Pessoa TRRF, Freitas CHSM, Souza AB, Morais MB, Braga CC, Filgueiras FMPB. Educação baseada na comunidade: experiência nos estágios supervisionados da saúde coletiva do curso de odontologia da Universidade Federal da Paraíba. In: Bollela VR, Germani ACC, Campos HH, Amaral E. Educação baseada na comunidade para as profissões da saúde: Aprendendo com a Experiência Brasileira. São Paulo: Funpec; 2014. p. 221-33

Mitre SM, Siqueira-Batista R, Girardi-de-Mendonça JM, Morais-Pinto NM, Meirelles CAB, Moreira T, et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Cienc Saúde Coletiva. 2008;13(Supl 2):2133-44.

Feuerwerker LMM. Micropolítica e saúde: produção do cuidado, gestão e formação. [tese de livre-docência]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública;2012.

Santa-Rosa TTA, Vargas AMD, Ferreira EF. Rural internship and the formation of dental students at UFMG. Interface - Comunic Saúde Educ. 2007 Set-Dez; 11(23):451-66.

Toassi RFC, Davoglio RS, Lemos VMA. Integração ensino-serviço-comunidade: o estágio na atenção básica da graduação em Odontologia. Educ Rev. 2012; 28(4): 223-42.

Medina MG, Silva GAP, Aquino R, Hartz ZMVS. Uso de modelos teóricos na avaliação em saúde: aspectos conceituais e operacionais. In: Hartz ZMA, Silva LMVS, editoras. Avaliação em saúde: dos modelos teóricos à prática na avaliação de programas e sistemas de saúde. Salvador: EDUFBA; Rio de Janeiro: Fiocruz; 2010. p. 41-63.

Fonsêca GS, Junqueira SR, Araujo ME, Botazzo C. Modelo lógico-ideal para o estágio curricular supervisionado: a educação pelo trabalho na formação Odontológica. Rev da ABENO. 2015;15(2):2-11.

Downloads

Publicado

2018-03-18

Edição

Seção

Artigos Originais