A experiência da elaboração de um material didático sobre câncer de pele para trabalhadores rurais

Ernandes Gonçalves Dias, Nycole Israel do Nascimento, Vanessa Augusto Bardaquim, Diego Lara Faria, Maria Lucia do Carmo Cruz Robazzi

Resumo


Introdução: As neoplasias de pele têm crescido em todo o mundo, porém, cerca de 50% dos casos podem ser prevenidos. Os trabalhadores rurais apresentam grande risco de desenvolver o câncer de pele, pois passam um longo período exposto às radiações solares. Objetivo: Elaborar um material educativo de abordagem ao câncer de pele. Método: Estudo relato de experiência descritivo. Para elaboração do material educativo foi realizada uma revisão sobre o tema na literatura científica e o documento elaborado pelo Consenso Brasileiro de Fotoproteção, produzido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Foram realizadas atividades de intervenção educativas para a prevenção do câncer de pele em trabalhadores rurais em um município do Estado de Minas Gerais, Brasil. Resultados: Realizado orientação com o material educativo ilustrativo abordando a temática do câncer de pele, material intitulado “Câncer de Pele: Plantando Proteção, Colhendo Saúde” sendo disponibilizado aos trabalhadores. Estes demonstraram ter compreendido as orientações do folheto informativo. Conclusões: Atividades de intervenção educativas são importantes para a prevenção do câncer de pele em trabalhadores rurais, porém devem ser moldadas para a sua realidade.


Texto completo:

PORTUGUÊS

Referências


Sociedade Brasileira de Dermatologia. Consenso Brasileiro de Fotoproteção. Fotoproteção no Brasil: Recomendações da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Rio de Janeiro: SBD; 2013. 40p.

INCA. Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estimativa 2016: Incidência de câncer no Brasil. 122p. Rio de Janeiro: INCA, 2015. [acesso em: 12 mar. 2018]. Disponível em: http://www.inca.gov.br/bvscontrolecancer/publicacoes/edicao/Estimativa_2016.pdf.

American Cancer Society. Cancer Facts & Figures 2016. Atlanta: Amerian Cancer Society, 2016b. 66p. [acesso em: 03 mar. 2018]. Disponível em: http://www.cancer.org/acs/groups/content/@research/documents/document/acspc-047079.pdf.

Rezende JFN, Acetta AC, Mendes GLQ, Araújo MS. Melanoma. In: Santos CER, Mello ELR. Manual de Cirurgia Oncológica. 2ed. São Paulo: Tecmedd, 2008. cap. 43, p.783-816.

Souza RJSP, Mattedi AP, Rezende ML, Corrêa MP, Duarte EM. Estimativa do custo do tratamento de câncer de pele tipo melanoma no Estado de São Paulo – Brasil. An. Bras. Dermatol., 2009; 84(3): 237-43. [acesso em: 10 mar. 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962009000300004.

Ornellas LC, Lanzoni VP, Toledo CF. Malignant melanoma with liver and spleen metastases: case report. Sao Paulo Med J/Rev Paul Med 2000; 118(2):53-6. [acesso em: 05 mar. 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802000000200006.

INCA. Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva. ABC do câncer: abordagens básicas para o controle do câncer. 2 ed. rev. e atual. 129p. Rio de Janeiro: INCA, 2012 [acesso em: 08 mar. 2018]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/inca/abc_do_cancer_2ed.pdf.

Maciel PC, Veiga-Filho J, Carvalho MP, Fonseca FEM, Ferreira LM, Veiga DF. Quality of life and self-esteem in patients submitted to surgical treatment of skin carcinomas: long-term results. An Bras Dermatol. 2014; 89(4):594-8. [acesso em: 03 mar. 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/abd1806-4841.20142742.

Salvio AG, Assumpção Júnior A, Segalla JGM, Panfilo BL, Nicolini HR, Didone R. Experiência de um ano de modelo de programa de prevenção contínua do melanoma na cidade de Jaú-SP, Brasil. An. Bras. Dermatol. 2011; 86(4): 669-674. [acesso em: 05 mar. 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962011000400007.

Fabris MR, Durães ESM, Martignago BCF, Blanco LFO, Fabris TR. Assessment of knowledge of skin cancer prevention and its relation with sun exposure and photo protection amongst gym academy members on the south of Santa Catarina, Brazil. An Bras Dermatol. 2012;87(1):36-43. [acesso em: 05 mar. 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962012000100004.

Silva JM, Silva EM, Faria HP, Pinheiro TMM. Agrotóxico e trabalho: uma combinação perigosa para a saúde do trabalhador rural. Ciênc. Saúde coletiva. 2005; 10(4):891-903. [acesso em: 05 mar. 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232005000400013.

Mendes R. Patologia do Trabalho: Atualizada e ampliada. Livro 2. 2ed. São Paulo: Editora Atheneu, 2003.

Purim KSM, Leite N. Fotoproteção e exercício físico. Rev Bras Med Esporte, Niterói, 2010; 16(3): 224-229. [acesso em: 06 mar. 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S151786922010000300014&lng=en&nrm=isso.

Kelly-Santos A, Rozenberg B. Comunicação por impressos na saúde do trabalhador: a perspectiva das instâncias públicas. Ciência & Saúde Coletiva. 2005; 10(4): 929-938 [acesso em: 05 mar. 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232005000400016.

Melo MM, Ribeiro CSC. Novas Considerações sobre a Fotoproteção no Brasil: Revisão de Literatura. Revista Ciências em Saúde. 2015; 5(3). [acesso em: 06 mar. 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.21876/rcsfmit.v5i3.375.

Balogh TS, Velasco MVR, Pedriali CA, Kaneko TM, Baby AR. Proteção à radiação ultravioleta: recursos disponíveis na atualidade em fotoproteção. An. Bras. Dermatol. 2011; 86(4): 732-42. [acesso em: 04 mar. 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962011000400016.

Criado PR, de Melo JN, de Oliveira ZN. Topical photoprotection in childhood and adolescence. J Pediatr. Rio de Janeiro, 2012; 88(3):203-10. [acesso em: 07 mar. 2018]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.2223/JPED.2194.

Santos MP, Oliveira NRF. Ação das vitaminas antioxidantes na prevenção do envelhecimento cutâneo. Disciplinarum Scientia. 2014; 15(1):75-89. [acesso em: 09 mar. 2018]. Disponível em: https://www.periodicos.unifra.br/index.php/disciplinarumS/article/view/1067.

Rennó FC, Rennó RC, Nassif PW. Atualização em Fotoprotetores. Rev. Uningá Review. 2014; 18(3): 56-61. [acesso em: 09 mar. 2018]. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1511.

Paiva APRC, Vargas EP. Os materiais educativos e seus públicos: um panorama a partir da literatura sobre o tema. X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciência – X ENPEC, 2015, p.1-8.

Rocha TALCG, Oliveira FN. Segurança e Saúde do Trabalho: Vulnerabilidade e percepção de riscos relacionados ao uso de agroquímicos em um pólo de fruticultura irrigada do Rio Grande do Norte. Gest. Prod., São Carlos, 2016; 23(3): 600-611. [aceso em: 10 mar. 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104530X2016000300600&lng=en&nrm=iso.

Silva PF, Sena CFA. A importância do uso de protetor solar na prevenção de alterações dermatológicas em trabalhadores sob fotoexposição excessiva. Revista Brasileira de Ciências da Vida, [S.l.], 2017; 5(1): 1-17. [acesso em: 10 mar. 2018]. Disponível em: http://jornal.faculdadecienciasdavida.com.br/index.php/RBCV/article/view/521.

Brasil. Norma Regulamentadora nº 6, de 08 de Junho de 1978. Dispõe sobre o Equipamento de Proteção Individual – EPI. Diário Oficial da União, 06 jul. 1978; Seção 1.




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2018v4n3p%25p

DOI (PORTUGUÊS): https://doi.org/10.18310/2446-48132018v4n3.1707g309

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. Novidade 2019: a Saúde em Redes foi aprovada para indexação na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorimDOAJ; COLECIONASUS