CONHECIMENTO E SENTIMENTOS DE MULHERES ACERCA DO EXAME PREVENTIVO DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO

Ernandes Gonçalves Dias, Rafael Antunes Silveira Mendes, Renata Silva Rocha, Lyliane Martins Campos, Rondinele Antunes de Araújo

Resumo


Objetivo: analisar o conhecimento e sentimentos de mulheres usuárias de uma Unidade de Saúde da Família de uma cidade do interior, no norte de Minas Gerais, em relação à prática do exame Preventivo do Câncer do Colo do Útero. Método: trata-se de um estudo descritivo de abordagem qualitativa realizado com 15 mulheres com idade entre 25 e 57 anos. Os dados foram coletados no período de agosto a setembro de 2020 por meio de uma entrevista semiestruturada e analisados mediante Análise Temática. Resultados: as mulheres recebem informações claras em relação ao exame preventivo, contudo, ainda faltam ações mais específicas para atraí-las a realizar o exame. Entendem que o exame preventivo é importante para prevenção do câncer do colo do útero e é uma oportunidade para identificar infecções sexualmente transmissíveis. Apresentam como dificuldades para realizar o exame o desconforto pela posição assumida para coleta do material, a baixa flexibilidade nos horários disponíveis para agendamento das consultas, além dos sentimentos de vergonha/timidez e a sensação de invasão de privacidade e insegurança. Conclusão: reforça-se a necessidade de criar estratégias para disseminar informações a respeito do exame preventivo para que as mulheres se sintam seguras em realizá-lo, além de esclarecê-las sobre o procedimento e flexibilizar a agenda do profissional para atender a demanda.


Palavras-chave


Conhecimento; Mulheres; Saúde da Família; Exame Ginecológico; Neoplasias do Colo do Útero.

Texto completo:

PORTUGUÊS

Referências


Instituto Nacional do Câncer (INCA). Ministério da Saúde do Brasil. Parâmetros Técnicos para o rastreamento do Câncer do Colo do Útero. – Rio de Janeiro : INCA, 2019. Disponível em: http://docs.bvsalud.org/biblioref/2019/04/988200/parametros-tecnicos-colo-do-utero_2019.pdf. Acesso em: 20 out. 2020.

Gurgel LC; Sousa AAS; Sousa CMS; Brito EAS; Leite RSS; Santana WJ et al., Percepção de mulheres sobre o exame de prevenção de colo de útero Papanicolau: Uma Revisão Integrativa da Literatura. Id on Line Rev. Mult. Psic., 2019[acesso 2020 Ago 30];13(46):434-445. Disponível em: https://idonline.emnuvens.com.br/id/article/view/1895.

Instituto Nacional do Câncer (INCA). Ministério da Saúde do Brasil. Estimativa 2020 : incidência de câncer no Brasil. – Rio de Janeiro : INCA, 2019. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files/media/document/estimativa-2020-incidencia-de-cancer-no-brasil.pdf. Acesso em: 19 mar. 2021.

Instituto Nacional do Câncer (INCA). Ministério da Saúde do Brasil. Tipos de câncer: câncer do colo do útero. – Rio de Janeiro : INCA, 2021. Disponível em: https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-do-colo-do-utero. Acesso em: 19 mar. 2021.

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero, 2016[acesso 2020 Jul. 29];2. Disponível em: http://www.citologiaclinica.org.br/site/pdf/documentos/diretrizes-para-o-rastreamento-do-cancer-do-colo-do-utero_2016.pdf.

Ferreira HM; Sales MDC. Saúde da mulher enquanto políticas públicas. Salus J Health Sci., 2017;3(2):58-65.

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Portaria 2.436, de 21 de setembro de 2017. Brasília : DF, 2017.

Marques CR; Paiva AC. Avaliação do Perfil e da Adesão ao Colpocitológico de Mulheres em Idade Fértil. Brazilian Journal of Technology, 2020[acesso 2020 Nov 24];2(4):984-997. Disponível em: http://brjd.com.br/index.php/BJT/article/view/6704/6361.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Controle dos cânceres do colo do útero e da mama. – 2. ed. – Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2013. 124 p.: il. (Cadernos de Atenção Básica, n. 13).

Dias EG; Faria MLS; Fleury ATS; Pereira SG; Alves. Sentimentos vivenciados por mulheres frente à realização do exame Papanicolaou. J Health Sci Inst., 2018;36(4):256-260.

Dias EG; Santos DDC; Dias ENF; Alves JCS; Soares LR. Avaliação do conhecimento em relação à prevenção do câncer do colo uterino entre mulheres de uma Unidade de Saúde. Rev Epidemiol Control Infect, 2015[2020 Set 11];5(3):136-140. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17058/reci.v5i3.5646.

Dias CF; Micheletti VCD; Fronza E; Alves JS; Attademo CV; Strapasson MR. Profile of cytopathologic exams collectec in a Family health strategy. Rev. pesqui. cuid. fundam. (Online), 2019[acesso 2020 Ago 06];11(1):192-198.

Braun V; Clarke V. Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research in Psychology, 2006[acesso 2020 Nov 22];3(2):77-101. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1191/1478088706qp063oa.

Sousa GF; Cavalcanti DFMS. A importância do profissional da enfermagem na prevenção do câncer do colo de útero na saúde da mulher: uma revisão de literatura. Rev. da Universidade Vale do Rio Verde, 2016[acesso 2020 Out 02];14(2):1128-1135. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v14i2.2740.g2771.

Moura JBLC; Silva GV. Papanicolau: Refletindo Sobre o Cuidado de Enfermagem na Atenção Básica. Revista PróUniverSUS, 2017[acesso 2020 Nov 19];8(1):12-16. Disponível em: http://editora.universidadedevassouras.edu.br/index.php/RPU/article/view/697.

Gomes LCS; Rodrigues TS; Goiano PDOL; Lopes JSP. Conhecimento de Mulheres sobre a Prevenção do Câncer de Colo do Útero: uma revisão integrativa. Revista Uningá Review, 2017[acesso 2020 Nov 25];30(2):44-51. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/2016.

Romli R; Shahabudin S; Saddki N; Mokhtar N. Effectiveness of a Health Education Program to Improve Knowledge and Attitude Towards Cervical Cancer and Pap Smear: A Controlled Community Trial in Malaysia. Journal of cancer prevention: APJCP, Asian Pacific, 2020[acesso 2020 Out 28];21(3):853-859. Disponível em: https://doi.org/10.31557/apjcp.2020.21.3.853.

Chiconela FV; Chidassicua JB. Women's knowledge and attitudes regarding cervical cancer screening. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2017[acesso 2020 Set 19];19:a23. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v19.41334.

Dias EG; Santos DDC; Dias ENF; Alves JCS; Soares LR. Perfil socioeconômico e prática do exame de prevenção do câncer do colo do útero de mulheres de uma unidade de saúde. Revista Saúde e Desenvolvimento, 2015;7(4):135-146.

Moreira AS; Andrade EGS. A importância do exame papanicolau na saúde da mulher. Revista de Iniciação Científica e Extensão - REIcEn, 2018[2020 Set 14];1(n. Esp 3):267-271. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/94/56.

Pereira GG; Silva JGF; Bizelli DFPM; Siomnato LE. Fluorescência Óptica no Diagnóstico de Lesões em Colo Cervical, Arch Health Invest, 2018[acesso 2020 Set 15];7(12):535-538. Disponível em: https://doi.org/10.21270/archi.v7i12.3121.

Dias EG; Faria MLS; Fleury ATS; Pereira SG; Alves JCS. Importância atribuída pelas mulheres à realização do exame papanicolaou. Saúde em Redes. 2017[acesso 20 mar. 2021];3(4):350-357.

Tiecker AP; Berlezi EM; Gewehr DM; Bandeira VAC. Conhecimento e práticas Preventivas Relacionadas às doenças oncológicas de mulheres climatéricas, RIES, 2018[acesso 2020 Nov 20];7(1):165-175. Disponível em: https://doi.org/10.33362/ries.v7i1.1349.

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero: Sumário Executivo para a Atenção Básica. Brasília : DF, 2018.

Dantas PVJ; Leita KNS; César ESR, Silva SCR; Souza TA; Nascimento BB. Conhecimento das Mulheres e Fatores da não Adesão Acerca do Exame Papanicolau. Rev enferm UFPE on line, 2018[acesso Nov 07];12(3):684-91. Disponível em: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v12i3a22582p684-691-2017.

Maia RCB; Silveira BL; Carvalho MFA. Câncer de Colo do Útero: papel do enfermeiro na Estratégia de Saúde da Família. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente. Ariquemes: FAEMA, 2018[acesso 2020 Out 18];9(1):348-372. Disponível em: https://doi.org/10.31072/rcf.v9i1.517.

Oliveira MM; Andrade SSCA; Oliveira PPV; Silva GA; Silva MMA; Malta DC. Pap-test coverage in women aged 25 to 64 years old, according to the National Health Survey and the Surveillance System for Risk and Protective Factors for Chronic Diseases by Telephone Survey, 2013. Rev. bras. epidemiol., 2018[acesso 2020 Nov 05];21:e180014. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-549720180014.

Nogueira LF; Evangelista RL; Araújo CRC; Teixeira SES. Desafios da Inserção do Enfermeiro na Assistência à Saúde da Mulher. SANARE, 2017[2020 Set 29];16(1):32-38. Disponível em: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/1091.

Souza ATM; Suto CSS; Costa LEL; Almeida ES; Oliveira JSB; Evangelista TJ. Exame citopatológico de câncer de colo de útero: acesso e qualidade no atendimento. J. res.: fundam. care. online, 2019[acesso 2020 Set 19];11(1):97-104.Disponível em: http:// dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2019.v11i1.97-104.

Sebold LF; Suave S; Girondi JBR; Kempfer SS; Echevarría-Guanilo ME. A percepção de mulheres sobre o exame preventivo de câncer uterino e os seus resultados. J Nurs Health, 2017[acesso 2020 Out 28];7(2):164-177. Disponível em: https://doi.org/10.15210/jonah.v7i2.9877.

Leite KNS; Silva JP; Sousa KM; Rodrigues SC; Souza TA; Alves JP et al. Exame Papanicolau: fatores que influenciam a não realização do exame em mulheres de 40 a 65 anos. Arq Ciênc Saúde, 2018[acesso 2020 Out 20];25(2):15-19. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17696/2318- 3691.25.2.2018.933.

Cardoso BCR; Costa LKC; Oliveira LG; Morais LA; Lima CFS; Martins RG et al. Principais Dificuldades para a Realização do Exame Papanicolau em Mulheres Atendidas em uma Unidade Básica de Saúde no Bairro Jaderlândia, Ananindeua, Estado do Pará. Brazilian Journal of Development. 2020[acesso 2020 Set 14];6(3):16007-16022. Disponível em: https://doi.org/10.34117/bjdv6n3-465.

Fernandes RTB; Alcântara DS; Araújo FB; Brito AKL; Costa GD; Marroni SN. Exame de Citologia Oncótica: a perspectiva das mulheres em duas unidades básicas de saúde do sudeste da Amazônia legal brasileira. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 2020[acesso 2020 Out 22];12(4)e2779. Disponível em: https://doi.org/10.25248/reas.e2779.2020.

Corrêa CSL; Lima AS; Leita ICG; Pereira LC; Nogueira MC; Duarte DAP et al. Rastreamento do câncer do colo do útero em Minas Gerais: avaliação a partir de dados do Sistema de Informação do Câncer do Colo do Útero (SISCOLO). Cad. Saúde Colet. 2017;[acesso 2020 Out 12];25(3):315-323. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1414-462x201700030201.

Mendes LC; Elias TC; Silva SR. Conhecimento e práticas do exame Papanicolau entre estudantes de escolas públicas do período noturno. REME – Rev Min Enferm., 2018[acesso 2020 Set 16];22:e-1079. Disponível em: http://www.dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20180009.

Morais ALJ; Passos TS; Santos DMS; Nunes MAP; Vargas MM; Oliveira CCC. Percepção de mulheres sobre a atenção primaria no âmbito da política do câncer de colo uterino no Estado de Sergipe. Revista de Ciência, Cuidado e Saúde, 2017[acesso 2020 Set 19];16(2). Disponível em: https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v16i2.22920.




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2021v7n3p%25p

DOI (PORTUGUÊS): https://doi.org/10.18310/2446-48132021v7n3.3483g786

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes (ISSN 2446-4813) foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. A Saúde em Redes é indexada na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorim; Google Acadêmico; DOAJ; COLECIONASUS