Diagnóstico situacional em saúde como estratégia de aprendizagem para estudantes de Enfermagem e Medicina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2021v7n2p191-200

Palavras-chave:

Educação Superior, Currículo, Atenção Primária à Saúde, Planejamento em Saúde

Resumo

Objetivo: descrever a vivência de estudantes da primeira série dos cursos de Enfermagem e Medicina na área de cuidado coletivo em uma Unidade da Estratégia de Saúde da Família. Métodos: trata-se de um relato de experiência sobre o processo ensino-aprendizagem desenvolvido na área de vigilância à saúde para o cuidado das necessidades coletivas de saúde. Foi utilizada a Estimativa Rápida Participativa, observação do território, análise dos relatórios de cadastros do sistema e-SUS e entrevistas com informantes-chave como estratégias para elaboração do Diagnóstico Situacional de Saúde.  Resultados: a ação dos estudantes na prática estimulou o interesse na busca de fundamentação teórica e possibilitou a aprendizagem significativa em relação à organização do Sistema Único de Saúde, às necessidades de saúde da população e ao planejamento em saúde, favorecendo a compreensão sobre o processo saúde-doença e as diferentes formas de intervenção. Conclusão: A inserção precoce dos estudantes no cenário de prática constituiu-se em uma importante estratégia para as integrações prática-teoria e ensino-serviço e, além disso, favoreceu o protagonismo dos estudantes na aplicação dos princípios do SUS, como a participação social, o trabalho multidisciplinar e a integralidade do cuidado.

Biografia do Autor

Maria Clara Figueroa da Silva, Faculdade de Medicina de Marília

Acadêmica de Medicina da Faculdade de Medicina de Marília

Mariana Brito de Jesus, Faculdade de Medicina de Marília

Acadêmica de Medicina da Faculdade de Medicina de Marília

Bruna dos Anjos Azevedo, Faculdade de Medicina de Marília

Acadêmica de Enfermagem de Medicina de Marília 

Lara Boaventura Andrade, Faculdade de Medicina de Marília

Acadêmica de Medicina da Faculdade de Medicina de Marília

Marcela Torres Fachini, Faculdade de Medicina de Marília

Acadêmica de Enfermagem da Faculdade de Medicina de Marília

Laís de Paiva Xavier, Faculdade de Medicina de Marília

Acadêmica de Medicina da Faculdade de Marília

Márcia Aparecida Padovan Otani, Faculdade de Medicina de Marília

Enfermeira. Doutora em Saúde Coletiva. Docente da Faculdade de Medicina de Marília.

Referências

Costa DAS, Silva RF, Lima VV, Ribeiro ECO. Diretrizes curriculares nacionais das profissões da saúde 2001-2004: análise à luz das teorias de desenvolvimento curricular. Interface (Botucatu). 2018;22(67):1183-95. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622017.0376

Brasil. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Superior. Resolução n. 3, de 7 de novembro de 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. Diário Oficial da União, Brasília (DF); 9 nov 2001; Seção 1:37.

Brasil. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Superior. Resolução n. 3, de 20 de junho de 2014. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Medicina e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília (DF); 23 jun 2014; Seção 1:8-11.

Oliveira NA, Meirelles RMS, Cury GC e Alves LA. Mudanças Curriculares no Ensino Médico Brasileiro: um Debate Crucial no Contexto do PROMED. rev. bras. educ. med. [online]. 2008, vol. 32, n. 3, pp. 333-346. ISSN 1981-5271. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-55022008000300008

Silva FV. A ABEn na construção social do PROENF. Jornal ABEn [Internet]. 2002 [acesso 2020 Out 10];44(2):p. 3. Disponível em: http://www.abennacional.org.br/download/a44n02.pdf

Faculdade de Medicina de Marília. Projeto pedagógico do Curso de Enfermagem. Marília: Faculdade de Medicina de Marília; 2018.

Lima VV. Competência: distintas abordagens e implicações na formação de profissionais de saúde. Interface: Comunicação, Saúde, Educação. 2005; 9(17): p. 369-379.

Faculdade de Medicina de Marília. Unidade Educacional 1: Unidade de Prática Profissional e Unidade Educacional Sistematizada. Marília: Faculdade de Medicina de Marília; 2019.

Medeiros, DKS, Neves, RF. Análise crítica das práticas na Atenção Primária à saúde com base nos relatos dos estudantes do curso de fisioterapia. RBSP n.1 jan./mar. 2013. v.37:87.

Brasil. Ministério da Saúde. Estratégia Saúde da Família (ESF): implantação da estratégia [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2017 [acesso 2019 Jun 14]. Disponível em: http://www.saude.gov.br/acoes-e-programas/saude-da-familia/implantacao-da-estrategia

Oliveira ML, Coelho TC. A percepção de acadêmicos de odontologia sobre o PET-Saúde UFMS/SESAU, Campo Grande/MS, 2009. ABENO [Internet] 2011 [acesso 3 Out 2020]; 11(1):76-80. Disponível em: http://abeno.org.br/ckfinder/userfiles/files/revista-abeno-2011-1.pdf

Organización Panamericana de la Salud. La renovación de atención primaria de salud en las Américas. Washington: Opas; 2007.

Nalom DMF, et al. Ensino em saúde: aprendizagem a partir da prática profissional. Ciência e Saúde Coletiva [Internet]. 2019 [acesso 3 Out 2020];24(5):1699-1908. DOI: 10.1590/1413-81232018245.04412019. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csc/v24n5/1413-8123-csc-24-05-1699.pdf

Sanfelice FN. A importância da inserção precoce na Atenção Básica e seu impacto na formação humanizada do acadêmico de medicina. Em: I Congresso da Associação Brasileira de Pesquisa em Prevenção e Promoção da Saúde; Brasília. Distrito Federal. Brasil. Campinas: Galoá; 2018. Disponível em: https://proceedings.science/brapep/documentos/a-importancia-da-insercao-precoce-na-atencao-basica-e-seu-impacto-na-formacao-humanizada-do-academico-de-medicina--

Andrade, LSG, Batista, RSL, Beserra, KS, Bomfim, AMA, Cavalcante, TM, Jordão, DA, et al. Uma experiência de integração ensino, serviço e comunidade de alunos do curso de graduação em medicina na Atenção Básica no município de Maceió-AL, Brasil. RCP. 017;3 (3):69-80.

Gallo DLL. A fisioterapia no Programa Saúde da Família: percepções em relação à atuação profissional e formação universitária. Dissertação [Mestrado em Saúde Coletiva] - Universidade Estadual de Londrina; 2005.

Tancredi FB, Barrios SRL, Ferreira JHG. Planejamento em saúde. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, v.2, 1998. (Série Saúde e Cidadania).

Acurcio FA, Santos MA, Ferreira SMG. A aplicação da técnica de Estimativa Rápida no processo de planejamento local. In: Mendes EV, organizador. A organização da saúde no nível local. São Paulo: Hucitec: 1998. p. 87-110.

Tancredi FB, Barrios SRL, Ferreira JHG. Fazendo um diagnóstico da situação de saúde da população e dos serviços de saúde. In: Tancredi FB, Barrios SRL, Ferreira JHG. Planejamento em saúde. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo; 1998. p. 19-26.

Brasil. Ministério da Saúde. e-SUS [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2019 [acesso 2019 Jun 15]. Disponível em: http://esus.saude.ms.gov.br/#/pec.

Franchi EPLP, Terra MF, Nascimento-Rocha JM, Marquezan RF, Odorizzi VF. A formação de profissionais de saúde no cuidado às comunidades quilombolas: um relato de experiência. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2018;13(40):1-11. DOI: http://dx.doi.org/10.5712/rbmfc13(40)1620.

Peres CRFB, Marin MJS, Tonhom SFR, Barbosa PMK. Integração ensino-serviço na formação do enfermeiro no estado de São Paulo (Brasil). Rev Min Enferm.

Downloads

Publicado

2021-12-01