A Fitoterapia no Centro de Saúde da Família: Um olhar sobre Práticas Integrativas no VER-SUS

Autores

  • Joelson dos Santos Almeida Universidade Estadual do Piaui-UESPI
  • Silmaria Bandeira do Nascimento Universidade Federal do Piau
  • Jonas Alves Cardoso Universidade Federal do Piau
  • Amanda Maria Braga Vasconcelos Universidade Estadual Vale do Acaraú
  • Daniel Galeno Machado Universidade Estadual do Piauí
  • Giovanna de Oliveira Libório Dourado Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2018v4n1p193-204

Palavras-chave:

Plantas Medicinais, Saúde Comunitária, Sistema Único de Saúde.

Resumo

Realizar uma reflexão a partir da vivência dos integrantes no projeto Farmácia Viva sobre as práticas integrativas e complementares com ênfase na fitoterapia. Trata-se de um relato de experiência sobre uma das atividades no projeto “Vivências e Estágios na Realidade do Sistema Único de Saúde”, ocorrido em Sobral-CE realizado em Março e Abril de 2016 nos dispositivos sociais de atenção a saúde. A Farmácia Viva é constituída por equipe multiprofissional que integra o serviço de saúde que cultiva, prepara e orienta o uso de plantas medicinais para à população a fim de favorecer a redução da medicalização e o uso inadequado das ervas medicinais. O Projeto Farmácia Viva busca fortalecer uso da fitoterapia que contribui, através da medicina tradicional, as práticas de saúde visando promover a oferta de cuidados alternativos com fácil acesso e baixo custo. A existência de iniciativas do projeto Farmácia Viva tem sido de grande suporte na atenção básica, a população torna-se próxima, acolhida, ciente da finalidade da erva medicinal, compreendendo sua indicação terapêutica, riscos do uso inadequado e das vantagens de possuir menos efeitos colaterais. Além de perpetuar nas gerações seguintes os benefícios das plantas, não deixando de multiplicar o poder das mesmas nas instituições de saúde.Palavras-Chave: Plantas Medicinais; Saúde Comunitária; Sistema Único de Saúde.

Biografia do Autor

Joelson dos Santos Almeida, Universidade Estadual do Piaui-UESPI

Acadêmico de Enfermagem e colaborador do projeto VER-SUS Brasil.

Silmaria Bandeira do Nascimento, Universidade Federal do Piau

Psicóloga. Especialista em Saúde Mental pela Faculdade Latino Americana de Educação. Residente em Saúde da Família pela Universidade Federal do Piauí/CMRV.

Jonas Alves Cardoso, Universidade Federal do Piau

Enfermeiro. Mestrando em Enfermagem pela Universidade Federal do Piauí/UFPI

Amanda Maria Braga Vasconcelos, Universidade Estadual Vale do Acaraú

Graduanda em Enfermagem pela Universidade Estadual Vale do Acaraú/UEVA

Daniel Galeno Machado, Universidade Estadual do Piauí

Enfermeiro.Mestre em Enfermagem. Docente da Universidade Estadual do Piauí/UESPI. Parnaíba, PI

Giovanna de Oliveira Libório Dourado, Universidade Federal do Piauí

Enfermeira.Mestre em Enfermagem. Doutoranda em Enfermagem pela Universidade Federal do Piauí. Docente Assistente da Universidade Federal do Piauí/CAFS.E-mail:giovannaliborio@hotmail.com 

Referências

Silva MVS da, Miranda GBN, Andrade MA de. Sentidos atribuídos à integralidade: entre o que é preconizado e vivido na equipe multidisciplinar. Interface (Botucatu) [online]. 2017 [cited 2018 Feb 16]; 21(62). Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832017000300589&lng=en. Epub Feb 13, 2017. http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622016.0420.

Lira Neto JCG, Freitas RWJF de, Brito ECC, Santos LR dos, Alves LEP, Alves LRA. VER-SUS: um relato de experiência sobre uma vivência-estágio na realidade do sistema único de saúde. Rev enferm UFPE [online]. 2013 [cited 2018 Feb 16]; 7(esp). Available from: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/11574/13572.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica. Política nacional de plantas medicinais e fitoterápicos. Brasília: MS; 2006.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Práticas integrativas e complementares: plantas medicinais e fitoterapia na Atenção Básica. Brasília: MS; 2012.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual de estrutura física das unidades básicas de saúde: saúde da família. Brasília: MS; 2006.

Silva SL da, Silva SFR da, Santana GS de M, Nuto S de AS, Machado M de FAZ, Diniz R de CM et al. Estratégia Educacional Baseada em Problemas para Grandes Grupos: Relato de Experiência. Rev. bras. educ. med. [online]. 2015 [cited 2018 Feb 20]; 39(4). Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022015000400607&lng=en&nrm=iso>. ISSN 0100-5502.

Santos BS, Meneses MP. Epistemologia do Sul. São Paulo: Cortez; 2010.

Bastos RAA, Lopes AMC. A Fitoterapia na Rede Básica de Saúde: o Olhar da Enfermagem. R Bras Ci Saúde [online]. 2010 [cited 2018 Feb 20]; 14(2). Available from: http://periodicos.ufpb.br/index.php/rbcs/article/view/3877/5299.

Soares CA. As plantas medicinais como alternativa terapêutica: Guia para tratamentos tópicos. Rio de Janeiro: Vozes; 2007.

Nascimento WMC, Melo OF, Silva IF, Souza FL de. Plantas medicinais e sua utilização pelas comunidades do município de Sobral, Ceará. Rev S A N A R E [online]. 2013 [cited 2018 Feb 20]; 12(1). Available from: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/328/262.

Teixeira AH, Bezerra MM, Chaves HV, Do Val DR, Pereira Filho SM, Rodrigues e Silva AA. Conhecimento popular sobre o uso de plantas medicinais no município de Sobral-Ceará, brasil. Rev S A N A R E [online]. 2014 [cited 2018 Feb 20]; 13(1). Available from: https://sanare.emnuvens.com.br /sanare/article/view/429/284.

Pereira JBA, Rodrigues MM, Morais IR, Vieira CRS, Sampaio JPM, Moura MG et al. O papel terapêutico do Programa Farmácia Viva e das plantas medicinais. Rev. Bras. plantas med. [Internet]. 2015 [cited 2018 Feb 16]; 17(4). Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-05722015000400550&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/1983-084X/14_008

Esmeraldo PC, Santiago LIC, Brito MÁ, Araújo DG de, Pimentel FG, Melo CHD et al. Plantas medicinais no candomblé como elemento de resistência cultural e cuidado à saúde. Rev Cubana Plant Med [Internet]. 2015 [cited 2018 Feb 16]; 20(1). Avaliable from: http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1028-47962015000100003&lng=es.

World Organization Health. Estrategia de la OMS sobre medicina tradicional 2014-2023. Genebra [online]. 2013 [cited 2018 feb 20]. Available from: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/95008/1/9789243506098_spa.pdf?ua=1.

Downloads

Publicado

2018-06-22

Edição

Seção

Relato de Experiência