AMAMENTAR E ALIMENTAR NA PERSPECTIVA DE PUÉRPERAS ASSISTIDAS EM UMA MATERNIDADE DE REFERÊNCIA DE UM MUNICÍPIO DO NORTE FLUMINENSE

Duanny de Sá Oliveira Pinto, Juliana Silva Pontes, Camilla Medeiros Macedo da Rocha, Marcia Regina Vianna, Silvia Pereira, Jane de Carlos Santana Capelli, Alexandra da Silva Anastácio

Resumo


Objetivos: Identificar os conhecimentos de puérperas sobre alimentação no primeiro ano de vida assistidas em uma maternidade de referência no município de Macaé, Rio de Janeiro. Métodos: Realizou-se um estudo descritivo, quantitativo, prospectivo, de base primária, no período entre janeiro e agosto de 2017, com puérperas entre 20 e 40 anos de idade, residentes do município de Macaé. Para as entrevistas, utilizou-se um questionário estruturado, adaptado do “Pré-Teste” do Caderno do Tutor, da Estratégia Nacional para Promoção de Alimentação Complementar Saudável. Resultados: Participaram do estudo 89 puérperas, apresentando média±DP de idade de 26±5 anos. Em relação aleitamento materno exclusivo, 55,1% das puérperas deram respostas corretas; já o aleitamento materno misto, detectou-se que 61,8% das respostas estavam incorretas.  Quanto ao período de início da oferta de novos alimentos, 51,7% responderam corretamente. Aproximadamente 2/3 das puérperas responderam corretamente, quando questionadas sobre “peneirar e liquidificar os alimentos na forma de papa doce ou salgada”, sendo esse dado estatisticamente significativo (p valor < 0, 001). Conclusões: Mais da metade das puérperas apresentou conhecimentos adequados sobre a alimentação no primeiro ano de vida.


Palavras-chave


Nutrição da Criança, Lactente, Maternidade, Saúde da Criança

Texto completo:

PORTUGUÊS

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: aleitamento materno e alimentação complementar/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 2. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 2015. 184 p.: il. – (Cadernos de Atenção Básica; n. 23).

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Alimentação e Nutrição/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – 1. ed., 1. reimpr. – Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 84 p. : il.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica/Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2012. 110 p. : il. – (Série E. Legislação em Saúde).

______. Ministério da Saúde. ENPACS: Estratégia Nacional para Alimentação Complementar Saudável: Caderno do Tutor/Ministério da Saúde, Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar – IBFAN Brasil. – Brasília: Ministério da Saúde 2010 108 p.: il. – (Série F. Comunicação e Educação em Saúde).

World Health Organization. Global Strategy for Infant and Young Child Feeding. [internet]. Geneva. 2003 [cited 2018 june 17] available from: http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/42590/9241562218.pdf.

______. Global Nutrition Targets 2025: Infographics.2014 [internet]. Geneva. 2003 [cited 2018 june 17] available from: http://www.who.int/nutrition/global-target-2025/infographic_stunting.pdf.

Flores TR, Nunes BP, Neves RG, Wendt AT, Costa CS, Wehrmeister FC et al. Consumo de leite materno e fatores associados em crianças menores de dois anos: Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Cad Saúde Pública. 2017; 33(11):e00068816.

Lauer JA, Bertran AP, Barros AJ, Onis M. Deaths and years of life lost due to suboptimal breastfeeding among children in the developing world. Public Health Nutr. 2006; 9(6):673-85.

Dias MCAP, Freire LMS, Franceschini SCC. Recomendações para alimentação complementar de crianças menores de dois anos. Rev Nutr. 2010; 23(3):475–486.

Sperandio N, Monteiro LS, Bouskelá A, Paredes HDMT, Pinto DOS, Capelli JCSC, Lima CST. Abordagem atualizada da alimentação do lactente. In: Almeida MFL, Capelli JCS, Sperandio N, Rocha CMM, Ribeiro BG. Alimentação e nutrição da infância à adolescência: diálogo multidisciplinar com a prática em saúde. – São Paulo. RED Publicações, 2018. pp. 69-77.

Ferreira IR, Iahnn SR, Santos AHC, Hellmann RF, Gianlupi K, Pinto LR, Negrão FJ, Macksuelle RAG, Soares FLP. Práticas alimentares de crianças de 0 a 24 meses de idade em uso de fórmulas infantis. Rev Assoc Bras Nutr. 2017; 8:3–9.

World Health Organization. Indicators for assessing infant and young child feeding practices: conclusions of a consensus meeting held 6-8 November 2007 in Washington DC, USA. World Health Organization (WHO).

Carvalho JLS, Cirino IP, Lima LHO. Conhecimento das mães sobre aleitamento materno exclusivo e alimentação complementar. Saúde em Redes 2017; 2:383–392.

Resolução no466 de 12 de dezembro de 2012. Conselho Nacional de Saúde. [Acesso 17 Jun 2018. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf.

Mais LA, Domene SAM, Barbosa MB, Tadei JAAC. Diagnóstico das práticas de alimentação complementar para o matriciamento das ações na Atenção Básica. Ciênc Saúde Coletiva. 2014; 19(1):93-104.

Alves ALN, Oliveira MIC, Moraes JR. Iniciativa Unidade Básica Amiga da Amamentação e sua relação com o aleitamento materno exclusivo. Rev Saúde Pública. 2013;47(6):1130-1140.

Guimarães MVR, Teixeira ER. Perfil sociodemográfico dos familiares de lactentes com doenças respiratórias em ambulatório de pediatria. Rev Enferm UFPE. 2015; 9(1):23-31.

Maia EM, Santiago LB, Sampaio ACF, Lamounier JA. Programa de apoio ao aleitamento materno exclusivo para mães trabalhadoras da iniciativa privada. Rev Med Minas Gerais. 2015; 25(1):19-24.

Caldeira AP, Goulart EMA. A situação do aleitamento materno em Montes Claros, Minas Gerais: estudo de uma amostra representativa. J Pediatr. 2000; 76:65-72.

Parada CMGL, Carvalhaes MABL, Jamas MT. Práticas de alimentação complementar em crianças no primeiro ano de vida. Rev Lat-am Enfermagem. 2007; 15(2).

Bernardi JLD, Jordão RE, Barros Filho AA. Alimentação complementar de lactentes em uma cidade desenvolvida no contexto de um país em desenvolvimento. Rev Panam Salud Pública. 2009; 26:405-11.

Souza FIS, Caetano MC, Ortiz TT, Silva SGL, Sarni ROS. Complementary feeding of infants in their first year of life: focus on the main pureed baby foods. Rev Assoc Med Bras. 2014; 60(3):231-235.

United Nations Children’s Fund. The State of the World’s Children 2014 in Numbers: Every Child Counts. Revealing Disparities, Advancing Children’s Rights. UNICEF. [Acess 2018 June 17] 2014. Availble from: https://www.unicef.org/publications/files/SOWC2014_In_Numbers_28_Jan.pdf.

Quaioti TCB, Almeida SS. Determinantes psicobiológicos do comportamento alimentar: uma ênfase em fatores ambientais que contribuem para a obesidade. Psicologia USP. 2006; 17(4):193-2




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2018v4n3p%25p

DOI (PORTUGUÊS): https://doi.org/10.18310/2446-48132018v4n3.1807g300

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. Novidade 2019: a Saúde em Redes foi aprovada para indexação na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorimDOAJ; COLECIONASUS