A INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR: TRAJETÓRIA DE IMPLANTAÇÃO DA COMISSÃO PERMANENTE UFRJ-MACAÉ ACESSÍVEL E INCLUSIVA

Jane de Carlos Santana Capelli, Inês Leoneza de Souza, Uliana Pontes Vieira, Adriana Bispo Alvarez, Raquel Silva de Paiva

Resumo


Objetivo: apresentar as experiências do processo de implantação até as ações recentes da Comissão Permanente UFRJ-MACAÉ Acessível e Inclusiva, da UFRJ-Campus Macaé Professor Aloísio Teixeira. Métodos: O estudo apresenta um relato de experiências vividas por membros da CPAI, no período entre o segundo semestre de 2016 e 2019. Para a estruturação deste relato, foram reunidas as memórias dos encontros, atas de reuniões da CPAI, publicações de matérias referentes a CPAI tanto na mídia impressa como digital. Resultados: Foram identificados quatro aspetos relevantes: História da consolidação das instâncias voltadas às pessoas com deficiência na UFRJ; Implantação da CPAI; Entrada dos estudantes com deficiência na UFRJ-Campus Macaé; Ações da CPAI. Considerações finais: A CPAI tem realizado ações que propiciam um frequente diálogo sobre a acessibilidade e inclusão de estudantes com deficiência, sendo relevante para a atenção a estes no âmbito do ensino superior, por muitas vezes acessível apenas para uma parcela da população com deficiência.


Palavras-chave


Acolhimento; Educação; Saúde Pública.

Texto completo:

PORTUGUÊS

Referências


Universidade Federal do Rio de Janeiro. Estatuto da UFRJ. 2019. Atualizado em 27/06/2019. Acesso em: 08 Mar 2020. Disponível em: https://ufrj.br/estatuto-da-ufrj.

Wickbold CV, Siqueira V. Política de cotas, currículo e a construção identitária de alunos de Medicina de uma universidade pública. Pro-Posições, 2018; 29(1):83-105.

Brasil. Lei nº 13.409 de dezembro de 2016. Altera a Lei no 12.711, de 29 de agosto de 2012, para dispor sobre a reserva de vagas para pessoas com deficiência nos cursos técnico de nível médio e superior das instituições federais de ensino. Acesso em: 08 Jan 2020. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Lei/L13409.htm.

Castro BGSMM, Amara SCS. Ações afirmativas no ensino superior: a utilização de cotas para pessoas com deficiência na UENF. In: Mol, G. S., Melo D. C. F. (Org.). Pessoas com deficiência no ensino superior: desafios e possibilidades. Campos dos Goytacazes, RJ: Brasil Multicultural, 2018. p. 84-101. (Coleção Inclusão e Interdisciplinaridade; v. 2).

Capelli JCS, De Cicco NT, Barral J, Rumjanek VM. A educação do surdo no ensino superior. Manual técnico. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2019. 35p.

Brasil. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Acesso em: 04 Abr 2020. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm.

Mol GS, Melo DCF. Pessoas com deficiência no ensino superior: desafios e possibilidades. Campos dos Goytacazes, RJ: Brasil Multicultural, 2018. 176p. (Coleção Inclusão e Interdisciplinaridade; v. 2).

Tannus-Valadao G, Mendes EG. Inclusão escolar e o planejamento educacional individualizado: estudo comparativo sobre práticas de planejamento em diferentes países. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, 2018; 23:e230076.

Lourenço AEP, Cordeiro AA, Capelli JCS, et al. Programa de educação pelo trabalho para a saúde (PET-SAÚDE) e a formação do nutricionista num campus de interiorização. Demetra, Rio de Janeiro, 2017; 12(1):41-58.

Campus Macaé-UFRJ. Apresentação. O Campus UFRJ-Macaé. Acesso em: 29 Jan 2020. Disponível em: http://www.macae.ufrj.br/index.php/2016-02-15-16-00-04/2016-02-22-14-38-42.

Capelli JSC, Di Blasi F, Dutra FBS. Professors’ perception of the entry of a deaf student into a university campus. Revista Brasileira de Educação Especial, Bauru, 2020; 26(1):67-88.

Brasil. Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Acesso em: 08 Mar 2020. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm.

Fórum Permanente UFRJ Acessível e Inclusiva. Análise e Recomendações para funcionamento. Anos 2016-2017. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Comissão Executiva. FPAI-UFRJ, 2017. 17p.




DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2021v7n2p%25p

DOI (PORTUGUÊS): https://doi.org/10.18310/2446-48132021v7n2.3290g714

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A revista Saúde em Redes (ISSN 2446-4813) foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, período de sua criação, no estrato B1 na área de Ensino, no estrato B4 nas áreas de Enfermagem, Interdisciplinar, Psicologia, Saúde Coletiva e Serviço Social e no estrato B5 nas áreas de Geociências e Medicina II. A Saúde em Redes é indexada na Base LILACS.

Indexada no LatindexDiadorim; Google Acadêmico; DOAJ; COLECIONASUS