O Apoio Institucional e A Educação Permanente na formação do sanitarista: um relato de experiência

Autores

  • Júlia Monteiro Schenkel Prefeitura Municipal de Saúde de Novo Hamburgo Insituto de Psicologia Social Pichon-Rivière POA
  • Cibele Dotto
  • Maura Carolina Belomé da Silva
  • Lisiane Bôer Possa
  • Lisiane Gregis Poersch
  • Álisson Leão Fernandes

DOI:

https://doi.org/10.18310/2446-4813.2018v4n2p171-181

Resumo

A partir de um relato de experiência de estágio curricular da Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, abordamos o desafio de formar sanitaristas atentos às singularidades dos processos de trabalho em saúde. A partir da aproximação dos estudantes com a Atenção Básica do município de Esteio no ano de 2016, desenvolvemos práticas de apoio institucional e educação permanente, refletindo sobre os diferentes tempos envolvidos na gestão do Sistema Único de Saúde. Tais dispositivos foram apontados como estratégicos na formação de sanitaristas implicados com a co-gestão no Sistema Único de Saúde.  

Biografia do Autor

Júlia Monteiro Schenkel, Prefeitura Municipal de Saúde de Novo Hamburgo Insituto de Psicologia Social Pichon-Rivière POA

Psicóloga graduada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2010) e Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), participando do grupo INTERVIRES Pesquisa-Intervenção em Políticas Públicas, Saúde Mental e Cuidado em Rede (UFRGS).Concluiu a Residência Integrada Multiprofissional em Saúde Mental Coletiva e a Especialização em Educação em Saúde Mental Coletiva, ambas pelo Núcleo de Educação, Avaliação e Produção Pedagógica em Saúde (EducaSaúde) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Cursou a especialização em Análise Institucional e Esquizoanálise pela Fundação Gregório Baremblitt - Instituto Felix Guattari (MG). Tem experiência profissional na área da assistência social, saúde mental e saúde coletiva. Atualmente trabalha na Secretaria Municipal de Saúde de Novo Hamburgo, na coordenação de grupos de adolescentes no Projeto "Tipo Assim!", voltado à promoção de vida, saúde e protagonismo juvenil. Além disso, compõe a coordenação do curso Esquizoanálise e Esquizodrama no Instituto de Psicologia Social Pichon-Riviere de Porto Alegre.

Referências

PAIM, J. S.; PINTO, I. C. M. Graduação em saúde coletiva: conquistas e passos para além do sanitarismo. Tempus: Actas Saúde Col., Brasília, v.7, n.3, p.13-35, 2013.

Campos GWS, Figueiredo MD, Pereira Junior N, Castro CP. A aplicação da metodologia Paideia no apoio institucional, no apoio matricial e na clínica ampliada. Interface (Botucatu) [online]. 2014, vol.18, suppl.1 [cited 2017-08-13], pp.983-995.

Ceccim RB, Feuerwerker LCM. O quadrilátero da formação para a área da saúde: ensino, gestão, atenção e controle social. Physis, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, p. 41-65, jun. 2004.

Ricardo Burg Ceccim e Alcindo Antônio Ferla. Educação Permanente em Saúde. Em: Dicionário da Educação Profissional em Saúde http://www.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/edupersau.html

Downloads

Publicado

2018-12-20

Edição

Seção

Relato de Experiência